Expointer deve ter queda de vendas

Sartori afirmou que parque Assis Brasil estará pronto para a feira após estragos de inundação
Patrícia Comunello

Governador fez lançamento da edição do evento no Palácio Piratini
O ritmo mais fraco da economia vai pautar a 38ª Expointer, que vai de 29 de agosto a 6 de setembro no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. O secretário estadual da Agricultura e Pecuária, Ernani Polo, projetou ontem, no lançamento do evento no Palácio Piratini, que a combinação de juros mais elevados e a recessão vão afetar o desempenho de vendas de máquinas, que são o carro-chefe da exposição. Polo comentou que, se a comercialização romper a barreira de R$ 2 bilhões, "será muito bom". O governador José Ivo Sartori (PMDB) garantiu ainda que o parque estará pronto, com a recuperação das áreas destruídas pela inundação de julho, que deixou a área submersa.

"Manter o evento é uma forma de desafiar o amanhã", afirmou Sartori, que explicou, após discursar, que a ameaça sobre a Expointer foi relacionada com os estragos das chuvas. O governador aposta que a qualidade dos animais e equipamentos a serem expostos vai puxar a mostra de 2015, "mesmo com todos os ares de crise na economia". Os números iniciais da Expointer indicam a inscrição de 4.758 animais, abaixo dos 4,9 mil da edição e 2014, que já haviam sido inferiores ao registro de dois anos atrás, de 5,6 mil.

A projeção de Polo também foi rebaixada em relação aos R$ 2,7 bilhões de negócios com máquinas e implementos. A cifra costuma refletir propostas de compra. Muitas não efetivam após a tramitação nos bancos. Até ontem, as instituições financeiras ainda não haviam informado o nível de oferta de crédito e a meta de contratos. O presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Equipamentos Agrícolas (Simers), Cláudio Bier, declarou-se um otimista com as possibilidades de negócios. No Palácio Piratini, Bier apresentou a campanha de marketing da entidade que focou a inovação embarcada nos maquinários. O Estado concentra 60% da produção de unidades do segmento. Peças gráficas terão o slogan "A tecnologia das máquinas vira o jogo".

Desde a recomposição de taxas de juros subsidiadas pelo governo federal em fim de 2013, a indústria vê reduzir a voracidade nas compras. Neste ano, a alta de taxas foi maior na esteira das medidas do ajuste fiscal na União, que comprimiu o crédito via Bndes. Em 2014, as vendas fecharam 17% abaixo da edição anterior, que somou R$ 3,2 bilhões, recorde histórico do evento. "O contexto realmente não é positivo para negócios, mas o desejo é que um maior volume possa ocorrer", afirmou Polo.

As obras de restauração de pavilhões devem ser concluídas até a próxima semana, segundo o secretário. Sobre eventuais riscos de inundação em caso de mau tempo na edição deste ano, Polo lembrou: "Não existe Expointer sem chuva". Em 2013, a elevada precipitação deixou estandes de fabricantes debaixo da água na área da feira administrada pelo Simers, prejudicando vendas. Obras de manutenção para melhorar a drenagem foram feiras para 2014, mas há existência de arroios no entorno. Porém, Polo observou que a solução definitiva deverá ocorrer em 2016, com a construção de um dique, previsto no plano de concessão para a construtora Bolognesi, com investimento de R$ 16 milhões. O contrato foi anunciado no mês passado.

Outra pendência é a elaboração do Plano de Prevenção contra Incêndios (PPCI), cumprindo legislação estadual. A exigência tem de ser atendida para a edição de 2015 ser realizada. O secretário da Agricultura disse que a empresa contratada para montar o projeto de acordo com as especificações técnicas já está trabalhando. O Corpo de Bombeiros interditou o parque em fim de 2014, devido à inexistência do PPCI. O titular da Agricultura disse que não espera desfalques de servidores para as funções cruciais do evento, desde recepção de animais à segurança. A preocupação é que a incerteza sobre o pagamento dos salários de agosto (após o escalonamento dos vencimentos de julho) possa gerar protestos e redução do quadro.

Gadolando apresenta prestação de contas da Expoleite/Fenasul

Minutos antes do início da cerimônia de lançamento da Expointer 2015, ontem, no Palácio Piratini, o governador José Ivo Sartori recebeu o presidente da Associação dos Criadores de Gado Holandês do Estado (Gadolando), Marcos Tang, que entregou o relatório final da Expoleite/Fenasul 2015. Lang também anunciou que a próxima edição do evento ocorrerá entre os dias 18 e 22 de maio de 2016, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio.

A edição realizada em maio deste ano totalizou R$ 1,7 milhão em comercialização de animais. Como o estacionamento é gratuito e os portões são abertos ao público, estima-se que 20 mil pessoas visitaram o parque durante os cinco dias do evento. De acordo com Tang, a novidade para Expoleite/Fenasul 2016 será a participação da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (Abccc), que realizará classificatória para o freio de ouro.

MARCELO G. RIBEIRO/JC

Fonte : Jornal do Comércio