.........

Estudo sobre desempenho ambiental da ILPF em Brotas evidencia contribuições da tecnologia para a sustentabilidade da agropecuária

.........

Renan Milagres - Sitio Nelson Guerreiro

 

Foto: Renan Milagres

Sitio Nelson Guerreiro

A avaliação de desempenho socioambiental é um passo essencial para nortear a incorporação da sustentabilidade no processo de inovação tecnológica. Sistemas de Integração-Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) têm se difundido como uma alternativa tecnológica para promover a sustentabilidade de sistemas produtivos com aumento e diversificação da renda. O projeto ‘Transferência de tecnologias em rede para sistemas de integração ILPF’ propõe a análise de indicadores de desempenho ambiental nos estabelecimentos rurais adotantes desses sistemas, empregando a base metodológica do sistema de indicadores Ambitec-Agro.

A meta é oferecer recomendações de gestão ambiental fundamentadas em uma visão integrada do estabelecimento rural e verificar a hipótese de que a adoção de sistemas ILPF gera impactos tecnológicos e socioambientais positivos.

Nesse contexto, a primeira avaliação se deu com foco na Unidade de Referência Tecnológica (URT) de ILPF ‘Sítio Nelson Guerreiro’, um estabelecimento de médio porte localizado em Brotas (SP). Até o ano de 2009 o Sítio se dedicava principalmente à atividade citrícola e mantinha uma produção pecuária com níveis técnicos modestos e baixa taxa de lotação de pastagens. Em função das crescentes dificuldades produtivas e econômicas do setor de produção de citros, os proprietários buscaram a ILPF como forma de diversificar a base produtiva e as fontes de renda.

Conforme análise do conjunto de critérios e indicadores, nas dimensões de impactos ecológicos e impactos socioambientais, ficou evidente a contribuição da ILPF para que os proprietários alcançassem os objetivos de diversificação além de uma importante melhoria em vários indicadores socioambientais. Verificou-se que o desempenho socioambiental para a ILPF no Sítio Nelson Guerreiro contribui positivamente para o desenvolvimento local sustentável, em uma região na qual a diversificação agropecuária se faz tão importante, como é o caso da microrregião de Brotas, crescentemente submetida à monocultura da cana-de-açúcar, com as crescentes dificuldades produtivas e econômicas do setor de produção de citros.

Mais especificamente, observou-se que a adoção da ILPF promoveu complementaridades no uso do solo, recomposição da paisagem rural, aumento da biodiversidade local, da retenção de água na propriedade e do grande aumento de produtividade na mesma área, tendo como consequência o efeito ‘poupa-terra’. Além disso, possibilitou o fomento da economia e as condições de inserção de uma variada gama de novos produtos no mercado. Com efeito, iniciativas de rotulagem e promoção da marca ‘Sítio Nelson Guerreiro’, como originários de um sistema diferenciado, ecologicamente amigável e vinculado a uma ética produtiva sustentável, têm representado a estratégia de negócio da família Guerreiro, tendo a ILPF como embasamento técnico.

Possivelmente a mais valiosa contribuição da ILPF para o desempenho ambiental dos estabelecimentos rurais nos quais é adotada seja a melhoria nos indicadores de Qualidade do solo, como se observa também no Sítio Nelson Guerreiro, onde o manejo adotado garantiu significativa redução da erosão, tanto devido à melhor cobertura do solo com as gramíneas das pastagens, quanto pela sistematização e recuperação dos terraços e curvas de nível e inserção das árvores, que diminuem a energia das chuvas. Com essas medidas, os processos erosivos encontram-se perfeitamente controlados, mesmo em uma área onde era historicamente recorrente a abertura de ravinas no período chuvoso. Ainda muito importante na qualidade do solo é o efeito de redução das perdas de nutrientes por lixiviação, devido à sua recuperação desde camadas mais profundas e deposição superficial, com a decomposição do folhedo das árvores. Igualmente, o aumento da biomassa das pastagens e a melhor cobertura do solo favorecem a redução da compactação pelo pisoteio dos animais.

Em seu conjunto, os índices de desempenho socioambiental verificados, segundo o contexto produtivo e práticas de adoção tecnológica analisados, permitem posicionar o Sítio Nelson Guerreiro e a ILPF entre os 10% mais elevados índices integrados de desempenho, em uma amostra relativa a 180 estudos de caso, analisados com a presente base metodológica, no âmbito da plataforma Embrapa de avaliação de impactos. O Relatório de Gestão Ambiental, formulado com base nesses resultados sobre o Sítio Nelson Guerreiro, foi entregue pessoalmente aos proprietários pela equipe, em visita à propriedade, acompanhada pela Dra. Maria Luiza Franceschi Nicodemo, pesquisadora da Embrapa Pecuária Sudeste, responsável pela implantação e assessoria técnica da adoção da ILPF na URT.

Esses resultados permitiram ainda, promover uma atualização em alguns dos critérios e indicadores do Ambitec-Agro, de forma a melhor evidenciar os ganhos de eficiência e sustentabilidade, advindos da adoção da ILPF. Parte da equipe de pesquisa se reuniu na Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) em 17 de agosto, juntamente com William Marchió, Diretor Executivo da Rede de Fomento – ILPF, para realizar uma análise crítica dos resultados deste primeiro estudo de caso e proposição de atualização da metodologia conforme necessidade do projeto. Entre as principais modificações sugeridas, constam a inserção de aspectos de eficiência no uso de recursos naturais, em termos de ‘mudanças diretas e indiretas no uso da terra’, que trazem considerações relativas aos ganhos de produtividade por unidade de área, estoques de carbono e biodiversidade produtiva e ‘consumo de água’, para registrar as melhorias na disponibilidade e aproveitamento da água, com a captação das chuvas e aproveitamento produtivo promovidos pela integração.

Com as atualizações propostas, a serem implementadas nos estudos de caso a ocorrerem em URT nas sete regiões de realização do projeto em todo o Brasil, será possível melhor identificar, registrar e comunicar os ganhos de eficiência produtiva advindos da ILPF, facilitando as ações de transferência de tecnologia e as recomendações de práticas e formas de manejo, conforme contexto de adoção.

Cristina Tordin (MTB 28499)
Embrapa Meio Ambiente

Fonte : Embrapa