.........

Estudo orienta plantio de duas culturas em três regiões

.........

Zoneamento oferece informações técnicas para produtores de aveia e de milho consorciado com braquiária

por Globo Rural On-line

 Shutterstock

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) aprovou o zoneamento agrícola de risco climático para a cultura de aveia nos estados de Mato Grosso do Sul eParaná. O estudo também contempla o cultivo de milho consorciado com braquiária, ano safra 2011/2012, nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás e no Distrito Federal.

A lista dos municípios que estão no estudo e os períodos mais adequados para o plantio foram publicados no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (20/12) nas portarias de 507 a 516. O zoneamento agrícola indica os tipos de solos aptos ao cultivo, os períodos de plantio, as cultivares indicadas e o melhor período para a semeadura em cada município, de acordo com a análise histórica do comportamento do clima. O objetivo é orientar os agricultores sobre os riscos de adversidades climáticas coincidentes com as fases mais sensíveis das culturas.

As aveias são plantas de clima temperado, que podem ser cultivadas em diferentes condições climáticas e para diversos fins. Entre eles estão produção de grãos para alimentação humana e animal e forragem e cobertura do solo. Também serve como adubação verde e como inibidora da infestação de invasoras (alelopatia). A aveia tem importante papel no sistema de produção de grãos, principalmente no sul do Brasil, caracterizando-se por ser uma excelente alternativa para o cultivo de inverno e em sistemas de rotação de culturas.

O cultivo consorciado de plantas produtoras de grãos com forrageiras tropicais, em Sistema Plantio Direto (SPD), tem aumentado significativamente nos últimos anos nas regiões que apresentam inverno seco. Nos estados citados, o plantio consorciado de braquiária com o cereal vem sendo utilizado, predominantemente, no cultivo do milho safrinha (2ª safra). Nesse caso, a forrageira pode servir como alimento para a exploração pecuária, a partir do final do verão até início da primavera e, posteriormente, para formação de palhada no SPD.

Fonte:  Globo Rural