.........

Estoque privado de café caiu 5,6% no fim da safra 2014/15

.........

Os estoques de passagem privados de café no Brasil somavam 14,369 milhões de sacas de 60,5 quilos em 31 de março deste ano, conforme levantamento divulgado ontem pela Conab. Desse total, 12,983 milhões de sacas eram de café arábica e 1,386 milhão da espécie robusta. O volume dos estoques é 5,6% inferior às 15,217 milhões de sacas existentes em 31 de março de 2014, segundo a Conab.

O levantamento foi realizado no período de março e maio deste ano, com o objetivo de calcular o estoque de passagem da safra 2014/15. Foram pesquisados 816 armazenadores com a emissão de 1.092 boletins. Do total de armazenadores, 94% responderam à pesquisa sobre os estoques, de acordo com a autarquia.

A pesquisa mostra que as cooperativas tinham 38,24% do total armazenado em 31 de março deste ano. A seguir, estavam os exportadores, com 22,37% do total; as indústrias de torrefação tinham 10,4% e as indústrias de solúvel, 1,78%. Os estoques em outros estabelecimentos privados representavam 26,5% do total, conforme a pesquisa.

A região Sudeste, líder na produção do café arábica, tinha 93% do estoque total brasileiro dessa espécie. Além disso, a maior parte dos estoques privados estava no Estado de Minas Gerais, maior produtor de café do país.

Após o divulgação dos estoques em 31 de março, Silas Brasileiro, presidente do Conselho Nacional do Café (CNC), disse que a entidade "reitera seu posicionamento de que o Brasil, mesmo registrando níveis reduzidos de café armazenado e duas quebras consecutivas de safra, terá condições para honrar seus compromissos com os mercados externo e interno, o que possibilitará a manutenção de nosso market share e a não cessão de espaço a nossos concorrentes". Mas, acrescentou "que os estoques de passagem de 2016 serão, certamente, os mais baixos de toda a história cafeeira do país."

A pesquisa da Conab também mostrou que os estoques governamentais em 31 de março somavam 1,653 milhão de sacas.

Para Guilherme Braga, diretor-geral do Conselho dos Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – CeCafé, o número dos estoques sinaliza que a produção no período foi maior do que o estimado.

Nos cálculos do dirigente, considerando uma exportação de cerca de 36 milhões de sacas de café na última safra e um consumo interno de 20 milhões de sacas, houve o "desaparecimento" de entre 55 milhões e 56 milhões de sacas. Com a queda no estoque de passagem de cerca de 1 milhão de sacas de uma safra para outra, isso significaria uma produção ao redor de 54 milhões na safra 2014/15. Segundo a Conab, o Brasil produziu 45,341 milhões de sacas no período.

Na bolsa de Nova York, os contratos do café arábica para dezembro fecharam ontem com alta de 235 pontos, a US$ 1,2455 a libra-peso.

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Fonte : Valor