.........

"Estamos vivendo um momento de transição"

.........

Fonte: ZeroHora

Erasmo Carlos Battistella, diretor-presidente da BSBios

Com investimento de R$ 130 milhões, a BSBios inaugurou semana passada uma unidade de processamento de GRÃOS em Passo Fundo. Além de agregar valor à produção, o complexo de alta tecnologia completa o ciclo produtivo, do grão ao biodiesel, e pretende processar 3 mil toneladas por dia até o fim de 2012. A unidade funcionará 330 dias por ano, dependendo da disponibilidade de matéria-prima. Para o diretor-presidente da BSBios, Erasmo Carlos Battistella, o investimento resulta em mais competitividade no mercado, além de agregar valor à matéria-prima, o que impulsiona a AGRICULTURA FAMILIAR e fortalece o setor. A seguir os principais trechos de entrevista concedida à ZH.

Zero Hora – Qual o impacto do investimento para o Estado?

Erasmo Carlos Battistella – A unidade agrega valor à matéria-prima, estimula a cadeia produtiva e desenvolve a região. Pretendemos aumentar a competitividade e, ao exportar menos e processar mais, valorizar as riquezas locais. Inicialmente, a unidade processará apenas soja, mas no futuro a intenção é colher os resultados do fomento à produção de canola para também processá-la.

ZH – De que forma o fomento à canola afeta o investimento em soja?

Battistella – Na safra atual, a BSBios fomentou e pré-contratou 25 mil hectares de canola. Com o fortalecimento da Associação Brasileira de Produtores da Canola e diante dos avanços na produção, pretendemos atingir 100 mil hectares em até seis anos. Não buscamos estimular a competição entre soja e canola, mas que elas se complementem e gerem bons resultados.

ZH – Quais os diferenciais da BSBios na produção de biodiesel?

Battistella – O crescimento da BSBios beneficia a AGRICULTURA FAMILIAR e as empresas gaúchas. Desde 2005, foram investidos mais de R$ 170 milhões. Hoje, a empresa produz 160 milhões de litros de biodiesel por ano e pré-contrata a produção de matéria-prima com 15 mil famílias. Outro diferencial é a produção sustentável, que inclui, por exemplo, a reutilização de água e um moderno controle para emissão de gases.

ZH – Como avalia o crescimento do mercado de biodiesel no Brasil?

Battistella – A agroenergia é um ciclo sem volta e estamos vivendo um momento de transição. Por meio da Associação de Produtores de Biodiesel do Brasil e da Frente Parlamentar em Defesa do Biodiesel, trabalhamos para a publicação de um novo marco regulatório para o setor, além de ampliar a mistura de biodiesel de 5% para 7% já em 2012.

leandro.becker@zerohora.com.br

LEANDRO BECKER | Passo Fundo/Casa Zero Hora