.........

Estado já liberou R$ 4,7 bilhões com o Plano Safra Gaúcho

.........

Recursos teriam beneficiado 300 mil famílias rurais em dois anos

Nestor Tipa Júnior

Em dois anos do Plano Safra Gaúcho, foram liberados R$ 4,7 bilhões para fomentar a agricultura do Rio Grande do Sul. O número foi divulgado ontem pelos secretários da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, e do Desenvolvimento Rural, Ivar Pavan, em evento no Palácio Piratini.
Só do Banrisul, foram liberados R$ 3 bilhões em créditos para custeio e comercialização da produção. As outras instituições que fazem parte do sistema financeiro gaúcho, Badesul e Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), liberaram R$ 601 milhões e R$ 561 milhões, respectivamente. O restante da verba foi de recursos oriundos do executivo gaúcho.
A expectativa do governo é de que pelo menos 300 mil famílias foram beneficiadas pelo Plano Safra Gaúcho com instrumentos de política agrícola, como crédito, assistência técnica e comercialização. Um dos principais destaques do período foi o incentivo à irrigação, com programas como o Mais Água, Mais Renda, Irrigando a Agricultura Familiar e o Pró-Irrigação, que atenderam quatro mil famílias em dois anos com a construção de 271 poços artesianos e 600 açudes.
Segundo Mainardi, os recursos liberados para irrigação foram o ponto alto dos programas da agricultura. A ideia, de acordo com o titular da pasta da Agricultura, é chegar até 2014 com pelo menos o dobro das áreas irrigadas atualmente no Estado. “Temos hoje em torno de 1,4 mil projetos de irrigação tramitando, e mais da metade são da agricultura familiar. Estamos próximos aos 40 mil hectares irrigados, somados aos 100 mil que já eram anteriormente”, ressalta o secretário.
Mainardi também salienta que a construção de um Plano Safra Estadual fortalece o principal setor econômico do Rio Grande do Sul. “O agronegócio é um elemento crucial no desenvolvimento da economia gaúcha. Aquela máxima de que quando o campo vai mal a economia toda vai mal é mais acentuada aqui no Estado”, lembra o secretário.
Pavan destacou que o Plano Safra do Rio Grande do Sul, que serve de complemento ao Plano Safra Federal, quer consolidar uma estratégia de política agrícola para o Estado. Um dos destaques, conforme o secretário, foi o investimento em assistência técnica e extensão rural, que teve recursos de aproximadamente R$ 170 milhões, e que os resultados foram sentidos no último período, quando os produtores conseguiram se recuperar após um período difícil por causa da estiagem. “Foram investimentos que tiveram resultados altamente positivos, e a resposta veio com uma grande safra feita pelos agricultores no último período”, observa.
A divulgação do balanço das duas últimas safras antecede o anúncio do Plano Safra Gaúcho para o período 2013/2014, que tem cerimônia marcada para a manhã desta quinta-feira em Soledade. A perspectiva é que seja anunciado mais de R$ 2,5 bilhões em crédito para os produtores gaúchos. Entre as novidades previstas de programas que devem ser destacadOs pelo governador Tarso Genro estão a rastreabilidade de bovinos, programa de secagem e armazenagem de grãos na propriedade rural e medidas na área do leite. “Prevemos também avançar em áreas para a juventude, meio ambiente e combate à pobreza”, complementa Pavan.

Fonte: Jornal do Comércio