.........

Especialistas e parlamentares debatem preços da soja em fórum realizado em Toledo (PR)

.........

Para o analista de mercado Paulo Molinari, próxima safra deve ter preços menores que os verificados no ciclo 2012/2013

Cristiane Weber/Canal Rural

Foto: Cristiane Weber/Canal Rural

Especialistas e parlamentares debateram sobre os preços da soja

A expectativa sobre o comportamento do mercado na próxima safra de soja foi um dos temas debatidos na tarde desta quinta, dia 25, em Toledo (PR), durante o fórum Soja Brasil "Os desafios de uma safra de incertezas". Especialistas e parlamentares falaram ainda sobre os preços da soja da safra 2012/2013 e os problemas de logística enfrentados pelos produtores. O evento foi transmitido ao vivo pelo Canal Rural.

Mediado pelo jornalista João Batista Olivi, o debate teve a participação do presidente da Aprosoja Brasil, Glauber Silveira; do consultor de mercado, Liones Severo; do analista de Safras & Mercado, Paulo Molinari; dos deputados federais Dilceu Sperafico e Abelardo Lupion; do presidente do Sindicato Rural de Toledo, Nelson Paludo; e do presidente de honra da Sociedade Rural de Goioerê (PR), José Eduardo Sismeiro.

Glauber Silveira, que esteve com o Projeto Soja Brasil visitando lavouras de soja e de milho nos Estados Unidos no início de julho, resumiu a situação das safras no país.

– Em Illinois, a lavoura estava muito boa, apesar de estar atrasada. O que me surpreendeu foram as lavouras de Iowa, por exemplo, com muitas áreas sem plantar. Eu não achei uma safra maravilhosa, por mais que o USDA tenha boas expectativas. Este ano eles vão ter um agravante, o besouro japonês. O produtor norte-americano não está acostumado com pragas como o brasileiro.

Silveira frisou relatos que ouviu de produtores norte-americanos. Eles, diferentemente do que está projetando a USDA, não esperam uma supersafra.

– O que eu ouvi de um produtor de lá, que acompanhou a viagem, foi que não era para esperarmos que o USDA divulgasse cenários muito negativos, ele vai soltando as coisas a conta-gotas. Já outro produtor disse que se ele fosse pecuarista, não apostaria em preços tão baixos.

A safra norte-americana de grãos pode não alcançar a produção esperada, e isso pode impactar de forma positiva no mercado brasileiro. O analista Paulo Molinari, porém, acredita que os preços no Brasil caiam na próxima safra na comparação com o ciclo 2012/2013.

– Com essa expectativa de uma grande safra de soja norte-americana, somada a uma grande safra sul-americana, vai ser difícil sustentar os preços em um alto patamar, mesmo que a China compre nosso grão.

Os preços da safra 2012/2013 e as dúvidas de comercialização também entraram no debate. Liones Severo aconselhou os sojicultores presentes no evento sobre os melhores momentos para comercializar a safra.

– Se quisermos não sofrer e ter uma comercialização saudável, a gente vende a nossa soja em junho. O mês de setembro também é favorável, durante a colheita norte-americana. Depois, em dezembro, quando se planta a safra sul-americana e em março, quando se colhe a soja aqui.

Durante o fórum, foi criada a Associação dos Produtores de Soja do Paraná (Aprosoja-PR). O presidente de honra da Sociedade Rural de Goioerê (PR), José Eduardo Sismeiro, assumiu a presidência da entidade. O presidente do Sindicato Rural de Toledo, Nelson Paludo, assumiu a vice-presidência.

RURALBR

Fonte: Ruralbr