.........

Entrega de fertilizantes caiu 9% no mês passado

.........

Após alcançar recorde em 2016 e registrar um aumento nas vendas da ordem de 20% em janeiro na comparação anual, o volume de entregas de fertilizantes no mercado doméstico começou a cair no mês passado. Segundo dados divulgados ontem pela Associação Nacional para a Difusão de Adubos (Anda), o volume de fertilizantes entregue aos produtores recuou 9% em fevereiro ante igual período um ano antes, somando 2,044 milhões de toneladas.

Segundo a Anda, a retração é consequência das antecipações de entregas nos meses precedentes. No primeiro bimestre, as entregas tiveram alta de 6,4% ante o mesmo período de 2016.

Com o fim das entregas de fertilizantes para plantio da segunda safra de milho – a safrinha -, as vendas de nitrogenados recuaram 13,9% em fevereiro, atingindo 384 mil toneladas. Pelo mesmo motivo, as entregas dos fosfatados tiveram queda de 9,7%, para 222 mil toneladas. E as entregas de fertilizantes potássicos, por sua vez, recuaram 13%, para 264 mil toneladas.

A produção nacional de fertilizantes teve queda de 22,6% no mês passado ante fevereiro de 2016, totalizando 546,289 mil toneladas. No ano, a redução foi de 11,7%, para 1,226 milhão de toneladas. Para atender a demanda, as importações de fertilizantes cresceram 30,4% em fevereiro, para 1,665 milhão de toneladas, e avançaram 30,5% no bimestre, para 3,985 milhões de toneladas.

Ainda de acordo com a Anda, as exportações de fertilizantes e formulações NPK também diminuíram em fevereiro, com baixa de 17%, para 12,902 mil toneladas no mês passado. No bimestre, a redução foi de 5,4%, para 50,021 mil toneladas.

Em janeiro, segundo levantamento da consultoria Macro Sector com base nos dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a relação de troca de uma tonelada de fertilizante pela produção estava em 20,3 sacas de soja e 50 sacas de milho, maior que a vista no ano passado. Em 2016, essa relação média foi de 20 sacas de soja e 43,6 sacas de milho para a compra de uma tonelada de fertilizante.

Por Kauanna Navarro | De São Paulo

Fonte : Valor