Energia elétrica

Fonte: Fetraf Sul

Tortelli sugere criação de programa de fortalecimento da energia elétrica no campo em relatório

Meta agora é apresentar o levantamento ao governador Tarso Genro

A criação de um programa de fortalecimento da energia elétrica disponibilizada ao meio rural. Essa é a sugestão apontada pelo presidente da Subcomissão para Tratar da Qualidade da Energia Elétrica Rural da Assembleia Legislativa, deputado estadual Altemir Tortelli (PT). O parlamentar apresentou, nesta quinta-feira (13), o relatório com dados sobre o tema à Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo. O documento foi aprovado por unanimidade.

No relatório Tortelli faz um apanhado das atividades realizadas em diversas regiões do estado para tratar da baixa qualidade da energia elétrica oferecida pelas concessionárias CEEE, RGE e AES Sul, à agricultura familiar. “São mais de 250 famílias afetadas por uma estrutura velha e por uma energia que limita a atuação, os investimentos e a diversificação dos cultivos no campo”, afirma. “Além disso, as concessionárias apresentaram planos genéricos de investimentos ao meio rural. 90% dos recursos são destinados às cidades, evidenciando a falta de comprometimento”.

Para o deputado, uma solução seria a criação de um programa que leve qualidade energética ao meio rural, um programa aos moldes do Luz Para Todos. “Precisamos de ações urgentes para garantir a sobrevivência da agricultura familiar e a segurança alimentar da população”, disse. Para isso, sugere a constituição de um comitê integrado por representantes de diversos setores sociais, que seria encarregado de implementar as ações levantadas por um diagnóstico detalhados dos municípios, através da viabilização dos recursos financeiros das três esferas governamentais.

Segundo o presidente da Subcomissão, esse seria um programa consistente visando resolver a problemática para os próximos 20 a 30 anos. “Não podemos incidir nas mesmas falhas de planejamento e remendos dos problemas que ocorreram até então”.

Problema com impacto social e econômic

Segundo Tortelli, a má qualidade da energia no meio rural afeta a produção, a diversificação das culturas e causa também o êxodo rural. “Muitos agricultores deixam de investir em outros arranjos produtivos por receio de perderem ainda mais. Isso afeta a economia e impede que as famílias melhorem suas condições de renda e de vida”, diz.

Conforme o deputado, a situação reflete no esvaziamento do campo, pois “não adianta os jovens contarem com novos equipamentos, com internet e outras maneiras de lazer se a energia elétrica for incapaz de atender as demandas. Muitas pessoas também deixam de voltar ao interior devido a insegurança do atual serviço prestado”.

O deputado finaliza afirmando que das concessionárias e cooperativas de eletrificação espera-se que confirmem o compromisso assumido de construir um programa efetivo de melhoria da qualidade da energia elétrica para todos, no meio rural. “ Dos governos esperamos que implementem uma política de reestruturação do sistema elétrico no Rio Grande do Sul, em especial, no meio rural, vez que esta é a única forma de solucionar o problema existente. Qualquer outra medida, constituirá mero paliativo, que servirá tão somente para agravar e adiar a solução do problema”, afirma.

Reunião com o governador

Agora a Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo chamará, através de Assembleia Legislativa do RS, uma reunião com o governador Tarso Genro para apresentar o levantamento do estudo. “O governador precisa ter conhecimento e compreender a gravidade do problema. Cabe ao Estado incorporar a questão e torná-la uma das grandes frentes de atuação para garantir a permanência sustentável do agricultor no campo, juntamente com todos os setores diretamente envolvidos”, finaliza Tortelli.

Baixe o Relatório da Subxomissão de Energia