Empresa mineira recebe aporte da Monsanto

Ana Paula Paiva/Valor

Mateus Barros, da Climate Corporation: objetivo é acelerar o desenvolvimento de produtos e levá-los a outros países

A Tbit, empresa mineira de tecnologia voltada ao agronegócio, venceu o processo de seleção de startups lançado pela Monsanto. Com isso, receberá um aporte de R$ 1 milhão, além de apoio para o desenvolvimento de novos negócios da subsidiária brasileira da multinacional americana. O anúncio oficial será feito hoje.

O processo de seleção de startups foi lançado no ano passado pela Monsanto, em parceria com a Microsoft e o fundo BR Startups, e recebeu 74 propostas. A Tbit foi escolhida por oferecer uma solução com base em inteligência artificial que dispensa os processos manuais e químicos de análise de qualidade de sementes e grãos na indústria. A substituição do atual modelo de qualificação de grãos – uma análise humana e, portanto, alvo de subjetividades – é uma demanda habitual de produtores rurais. Para quem faz sementes, por sua vez, os ganhos estão sobretudo no menor tempo de análise.

"O segmento de sementes ainda tem muita demanda por tecnologia", afirmou Igor Chalfoun, CEO da Tbit, ao Valor. "Nosso equipamento é destinado a vários pontos da cadeia, de empresas produtoras de sementes às de tratamento e comercialização, e ao próprio produtor, que terá mais confiança em seu produto", disse.

Segundo Mateus Barros, líder comercial para a América do Sul da Climate Corporation, divisão de agricultura digital da Monsanto, a tecnologia já foi adotada nas cinco unidades de beneficiamento de sementes da múlti no país. A intenção, com o aporte, é acelerar o desenvolvimento de novos produtos e levá-los para outros países. "Estamos avaliando começar pela Argentina, pela proximidade, mas também para os EUA e a Europa".

Um software instalado em um equipamento desenvolvido pela startup escaneia as sementes que estão sendo manufaturadas pela Monsanto e leem os padrões de qualidade do produto. Com as informações, é possível entender com agilidade e precisão se as sementes estão ou não dentro dos padrões exigidos pela empresa para irem ao mercado – ou seja, vigor e capacidade de germinação.

Criada em 2008 por estudantes encubados na Universidade Federal de Lavras, a Tbit lançou seu primeiro produto comercial em 2012. Hoje, tem 8 produtos e 50 clientes. Com o aporte de R$ 1 milhão, pretende expandir a estrutura comercial e de marketing e investir em um novo portfólio de inovação.

O aporte da Monsanto se dá via BR Startups, Fundo de Investimentos em Participações (FIP) focado em startups brasileiras. Criado pela Microsoft Participações, braço para o fomento à inovação e ao empreendedorismo da Microsoft, em conjunto com Qualcomm Ventures, ES Ventures e Agência de Fomento do Rio, o fundo mira empresas que saíram da fase de aceleração mas têm pouco acesso ao mercado de venture capital.

Por Bettina Barros | De São Paulo

Fonte : Valor