.........

Embarques de frango à China caíram 30%

.........

Os embargos à carne brasileira impostos por China, Hong Kong e Chile tiveram impacto significativo nas vendas a esses mercados em março. Ainda que as restrições – em decorrência da Operação Carne Fraca – tenham durado, oficialmente, pouco mais de uma semana, os embargos fizeram os chineses reduzir as compras de carne de frango em mais de 30% no mês passado, segundo dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Considerando todos os mercados, porém, a queda das exportações de carne de frango foi menor. Em março, os embarques de frango (produto in natura e processados) chegaram a 386,4 mil toneladas, queda de 4,1% na comparação o mesmo período do ano passado.

Embora menos expressiva que a redução dos embarques para China, Hong Kong e Chile, a queda dos embarques totais indica que, devido às restrições, houve reversão no cenário positivo visto no primeiro bimestre deste ano. Entre janeiro e fevereiro, as exportações brasileiras de carne de frango haviam crescido 9%. Com o acréscimo de março, o avanço no acumulado de 2017 diminuiu para 3,8%.

Esse quadro se deve, principalmente, à importância da China. No primeiro bimestre – antes da deflagração da Operação Carne Fraca -, o país asiático foi o segundo principal destino do frango exportado pelo Brasil. Ao todo, a China desembolsou US$ 125,9 milhões para importar 68,6 mil toneladas, o que representa 9% do volume exportado e 10,9% da receita no bimestre.

Em março, os chineses importaram 31,9 mil toneladas de carne de frango in natura do Brasil, queda de 30% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Os reflexos sobre a receita cambial obtida pelos exportadores foram bem menores que sobre os volumes. De fato, a receita aumentou 13,6% em março, totalizando US$ 661,3 milhões. A taxa de crescimento da receita das exportações, que estava em 29% no primeiro bimestre, até desacelerou para 22% no primeiro trimestre, mas ainda revela um expressivo crescimento.

Entre os motivos que justificam o crescimento da receita dos exportadores de carne de frango no primeiro trimestre está a recuperação das cotações da carne de frango no mercado internacional, após um período de baixa no ano passado devido à sobreoferta da proteína animal em importadores relevantes, como o Oriente Médio.

Considerando apenas março, o presidente da ABPA, Francisco Turra, observou que os embargos também ajudaram a elevar o preço médio da carne de frango vendida pelo Brasil, na medida em que cortes de menor valor não foram exportados porque alguns países que os demandam haviam proibido os produtos brasileiros.

Em meio à frustração com as exportações de aves e suínos, a ABPA recebeu um boa notícia ontem. Após anos de negociação, a Coreia do Sul abriu o mercado à carne suína de Santa Catarina.

Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Fonte : Valor