Emater-RS e Embrapa lançam campanha para controle biológico de lagartas do milho

Meta é disponibilizar armadilhas para monitoramento e controle de lagartas em 15 mil hectares de milho no Rio Grande do Sul

Sxc, Divulgação

Foto: Sxc, Divulgação

Campanha tem como objetivos minimizar o uso de inseticidas

Na última quinta, dia 25, a Emater do Rio Grande do Sul (Emater-RS) e a Embrapa assinaram Termo de Cooperação Técnica para viabilizar a Campanha para o Controle Biológico de Lagartas do Milho. A campanha tem como meta disponibilizar armadilhas para o monitoramento e controle de lagartas em 15 mil hectares de milho em todo o Estado.

De acordo com o diretor técnico da Emater-RS, Gervásio Paulus, o termo assinado objetiva a capacitação de técnicos e agricultores, o planejamento das lavouras, o acompanhamento das instalações das armadilhas para as lagartas e a coleta de dados das Unidades de Referência Técnica.

– A Emater vai proporcionar a distribuição das cartelas contendo os ovos do agente biológico e o acompanhamento nas propriedades onde o sistema de controle for implantado – afirmou o diretor técnico.

O controle de lagartas tem sido um dos principais problemas para a cultura do milho nos últimos anos.

– O problema no Brasil está se exacerbando pelo uso intensivo e inadequado, fora das recomendações técnicas para o controle de pragas na lavoura. O manejo integrado de pragas requer uma série de atividades que podem ser usadas em conjunto para diminuir esse problema, desde a escolha adequada da semente até a introdução dos inimigos naturais nas lavouras – destacou o chefe-geral da Embrapa Milho e Sorgo, Antônio Álvaro Purcino.

A campanha tem como objetivos minimizar o uso de inseticidas, consequentemente, proteger o meio ambiente e a saúde do produtor.

– Queremos oferecer uma tecnologia de baixo custo para o agricultor. Esta indicação técnica de aquisição de vespas trás o equilíbrio necessário entre os insetos-praga e os inimigos naturais – afirma o assistente técnico estadual da Emater-RS, Alencar Paulo Rugeri.

Técnicos da Emate-RS de todas as regiões estiveram em Porto Alegre para a primeira capacitação sobre o controle biológico de lagartas do milho com o doutor em Entomologia e pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo, Ivan Cruz. Para Cruz, essa grande incidência de pragas nas lavouras do Brasil é um paradoxo.

– O Brasil é campeão no uso de agrotóxicos, logo, era de se esperar que não tivéssemos problemas com tantas pragas. Só que acontece justamente o contrário, cada vez surgem novas espécies de pragas e mais resistentes. Esta campanha vem para provocar uma mudança de paradigma. O Rio Grande do Sul está de parabéns, por ser o primeiro Estado em lançar a campanha. Estamos empenhados em levá-la para todo o Brasil – ressaltou o pesquisador.

A Emater alerta que, se o agricultor constatar a presença de alguma espécie de lagarta na cultura do milho, poderá procurar os escritórios municipais da onde os técnicos orientarão sobre aquisição e aplicação da vespa Trichogramma para o controle biológico.

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA EMATER-RS

Fonte: Globo Rural