.........

ECONOMIA – Liberação de crédito rural atinge R$ 8,4 bilhões em julho

.........

O montante do desembolso cresceu 23,2% em relação ao mesmo mês do ano passado

dinheiro-real-moeda-cedula-brasil-economia (Foto: Marcos Santos/USP Imagens )

A maior procura em julho se deve ao fato de os produtores terem adiado a tomada de crédito nos meses anteriores, na expectativa de redução de juros (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

As liberações de financiamentos do crédito rural no primeiro mês da safra agrícola 2017/2018 atingiram R$ 8,4 bilhões, para atender médios e grandes agricultores. O valor é 23,2% superior ao registrado no mesmo mês do ano passado. Os dados constam do relatório divulgado nesta quarta-feira (9) pela Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura.

Segundo os técnicos, a maior procura em julho se deve ao fato de os produtores terem adiado a tomada de crédito nos meses anteriores, na expectativa de redução de juros. A programação de recursos para a safra atual prevê a liberação de R$ 188,4 bilhões para financiar a produção até junho de junho de 2018.

O levantamento mostra que as instituições financeiras liberaram 45.228 contratos de financiamento envolvendo crédito de custeio, comercialização e investimento, ante 43.504 operações de julho do ciclo anterior.

Quando se consideram as operações de custeio e de comercialização, o desembolso atingiu R$ 6,8 bilhões, em alta de 22,5% sobre julho de 2016. Já as contratações na modalidade investimentos, que incluem aquisição de máquinas e de implementos agrícolas, chegou a R$ 1,6 bilhão, com crescimento de 26,2%.

Contratações pela Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) atingiram R$ 1,8 bilhão ante R$ 1,3 bilhão no mesmo mês do ano anterior. Desse valor, R$ 791 milhões foram para as operações de custeio, R$ 839 milhões para comercialização e R$ 151 milhões para investimentos.
As instituições públicas ofereceram, em julho, nas modalidades custeio e comercialização, R$ 3,6 bilhões (+ 83%), já os bancos privados somaram quase R$ 2 bilhões (-34%) e as cooperativas de crédito, R$ 1,2 bilhão (+ 101%).

crédito-rural-tabela (Foto: Banco Central/Divulgação)(Foto: Banco Central/Divulgação)

Os técnicos comentam que entre as linhas de crédito de investimento, operadas principalmente pelo BNDES e Banco do Brasil, os destaques foram o Inovagro (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária) e o PCA (Programa de Construção e Ampliação de Armazéns), cujas contratações aumentaram expressivamente devido à redução de dois pontos percentuais na taxa de juros, que estão em 6,5% ao ano. As contratações do Inovagro aumentaram de R$ 3 milhões para R$ 34 milhões e as do PCA, inexistente em julho de 2016, atingiram R$ 15 milhões.

No Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural), o desembolso foi de R$ 173 milhões, ante R$ 40 milhões em julho do ano passado. E as aplicações no Moderfrota, programa de aquisição de maquinário, se situaram em R$ 474 milhões, ante R$ 486 milhões do mesmo mês do ano passado.

POR REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : Globo Rural