Diretor-presidente do Iteral se reúne com agricultores familiares no Sertão

 

Centenas de agricultores familiares e associações dos municípios de Pão de Açúcar, São José da Tapera e Olho d’Água das Flores participaram esta semana da reunião com o diretor-presidente do Iteral, Jaime Silva, técnicos do órgão e representantes do Banco do Brasil e do Nordeste sobre a renegociação da dívida do crédito fundiário, com base na resolução do Banco Central do Brasil publicada no fim do ano passado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário.
No evento, que ocorreu no Assentamento Pacu, em Pão de Açúcar, Sertão alagoano, agricultores foram orientados sobre como proceder para solicitar a renegociação com o banco. Durante a reunião, houve explanações referentes à documentação necessária e as vantagens de ficar adimplente no Programa Nacional do Crédito Fundiário (PNCF).
Para o diretor-presidente Jaime Silva, a renegociação é uma oportunidade única para os agricultores terem acesso a benefícios. “Ao renegociarem suas dívidas, os agricultores voltarão a ter acesso a linhas de crédito dos bancos do Brasil e do Nordeste para, dessa forma, continuarem investindo na terra e em sua cadeia produtiva”, afirmou.
A substituição dos lotes abandonados também foi pauta na reunião do Sertão. Assentados do PNCF que abandonaram os lotes de terra há mais de 30 dias e sem justificativa serão substituídos por novos titulares pelo Iteral.
“O abandono de lotes e a venda ou troca ilegal da terra por seus titulares é um dos problemas que o Iteral quer resolver em Alagoas, por isso estamos orientando e convocando os titulares ausentes para que se justifiquem ou serão substituídos por quem realmente quer trabalhar e produzir”, disse.
A reunião começou pela manhã e seguiu até o fim da tarde e deixou agricultores e associações satisfeitos.  A próxima reunião deverá acontecer no município de Santana do Ipanema, mas ainda não tem data. Depois, Agreste e Zona da Mata devem receber orientações dos técnicos do Iteral e dos representantes dos bancos para também poderem negociar suas dívidas.
Documentação
Para solicitar a renegociação, o agricultor precisa apresentar ao banco o comprovante de que pagou 5% da última parcela vencida, comprovante de residência, declaração de elegibilidade [emitida pela associação da qual o agricultor faz parte], documento de identidade, CPF, comprovante de estado civil, certificado de capacitação e a declaração de inscrição no CadÚnico.
Para os agricultores que são vinculados a associações e têm contrato coletivo do parcelamento, a associação deve encaminhar a regularização do quadro social atualizado pela direção da entidade com a documentação dos agricultores para a Unidade Técnica Estadual, que encaminhará para o banco.

Agência Alagoas

Fonte : Easycoop