Desvalorização do milho supera 30% neste ano

Movimento de queda nos preços do milho, de modo geral, tem sido verificado desde novembro de 2012, com uma sustentação observada entre maio e junho

Divulgação/Sxc

Foto: Divulgação/Sxc

Clima foi favorável para a colheita de segunda safra, que agora caminha para o pico, especialmente no Paraná e em Mato Grosso

As cotações do milho seguem pressionadas no Brasil com as perspectivas de segunda safra recorde, informou nesta terça, dia 30, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Considerando a média das regiões acompanhadas pelo Cepea, no acumulado parcial deste ano (da última semana de dezembro de 2012 até a semana passada), o recuo no preço chega a 29,2% no mercado de balcão (preço pago ao produtor) e a 31% no de lotes (negociação entre empresas).
Quanto à demanda, as compras seguem sendo realizadas apenas quando há necessidade. Para as exportações, os embarques nacionais, que foram praticamente nulos na primeira quinzena do mês, começam a crescer. O movimento de queda nos preços do milho, de modo geral, tem sido verificado desde novembro de 2012, com uma sustentação observada entre maio e junho.
O clima foi favorável para a colheita de segunda safra, que agora caminha para o pico, especialmente no Paraná e em Mato Grosso. A incidência de geadas na última semana pode ter prejudicado parte da lavoura do Paraná, de Mato Grosso do Sul e de São Paulo, que estava em fase de desenvolvimento e início da maturação. Porém, ainda não é possível mensurar qual será a perda percentual e o impacto na oferta agregada.
>> Acompanhe o site de cotações do RuralBR

CEPEA

Fonte: Ruralbr