.........

Desembolso do BNDES vai cair

.........

Cavalcanti: linha de crédito para estocagem deverá ser cortada pela metade
Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao segmento sucroalcooleiro deverão recuar para entre R$ 4 bilhões e R$ 5 bilhões em 2015, segundo o chefe do Departamento de Biocombustíveis do banco de fomento, Carlos Eduardo Cavalcanti. Em 2014, foram R$ 6,8 bilhões. Uma das fontes de cortes já foi definida. Cairão pela metade os recursos destinados a financiar a estocagem de etanol. A linha de crédito destinada ao plantio de canaviais ainda não tem previsão orçamentária, conforme Cavalcanti.

Ao Valor, o executivo afirmou que o banco deverá destinar R$ 1 bilhão para armazenagem do biocombustível, exatamente a metade do montante ofertado – e altamente demandado – em 2014.

No ano passado, o banco de fomento desembolsou R$ 1,961 bilhão com essa finalidade, mais que o dobro do realizado em 2013 (R$ 800 milhões). Os recursos saíram a TJLP mais 2,7%, sem limite de valor por operação, lembra Cavalcanti. "Para 2015, certamente esse custo será maior".

O executivo disse que o banco ainda não definiu as condições do Prorenova. O programa, que já chegou a ter uma dotação orçamentária anual de R$ 4 bilhões, dependerá das "condições financeiras" que serão definidas internamente no banco, segundo ele.

A instituição ainda procura definir quando vai liberar os R$ 770 milhões represados de operações do Prorenova contratadas em 2013. "Esperamos encaminhar uma solução às empresas até o fim deste semestre", afirmou o executivo.

Fonte: Valor | Por Fabiana Batista | De São Paulo