Demanda doméstica por etanol começou a recuar

O motorista começou a reagir ao aumento dos preços do etanol hidratado, que é usado diretamente no tanque dos veículos. O principal sinal foi a menor venda do produto feita pelas usinas às distribuidoras no mês de novembro na comparação com outubro, divulgada ontem pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

Foram vendidos no mercado interno 1,44 bilhão de litros de hidratado, 15,5% menos que os 1,7 bilhão de litros comercializados em outubro. Na comparação com novembro de 2014, no entanto, as vendas foram 23% mais elevadas. "Apesar do recuo em relação ao mês anterior, a demanda ainda está elevada e deve cair mais", disse o diretor da trading Bioagência, Tarcilo Rodrigues.

Nos cálculos da empresa, em dezembro, essas vendas devem recuar para patamares próximos de 1,3 bilhão de litros. "O recuo em novembro estava dentro do esperado, mas o consumo precisa cair mais para se equilibrar com a oferta de etanol disponível até o início da próxima safra, em março do ano que vem", explicou Rodrigues.

Considerando todos os tipos de etanol (anidro, que é misturado à gasolina, e hidratado) e o destino das vendas (mercados interno e externo), as usinas do Centro-Sul venderam em novembro 2,517 bilhões de litros de etanol, 25% de aumento em relação novembro de 2014. Na comparação com outubro, no entanto, há uma queda de 8,13%.

Ontem, a Unica também divulgou que a produção de hidratado na segunda quinzena de novembro caiu 13,35%, para 453 milhões de litros, diante da opção das usinas de fazer mais anidro e também por causa do excesso de chuvas, que interrompeu a moagem. Desde o início da safra 2015/16, foram produzidos 15,868 bilhões de litros de hidratado, alta de 8,6%.

Por Fabiana Batista | De São Paulo

Fonte : Valor