.........

Demanda cai e tira brilho da carne bovina

.........

Se a expressiva valorização do dólar em relação ao real mudou para melhor a situação em cadeias produtivas que caminhavam para colher uma safra de problemas em 2015, no segmento de carne bovina, um dos poucos do setor de agronegócios que se mantinham com o otimismo em alta no fim de 2014, os primeiros meses do ano foram marcados por algumas frustrações.

Como observa Adolfo Fontes, analista do Rabobank, foi o suficiente para colocar em alerta pecuaristas e frigoríficos, que já fecharam mais de 40 unidades no país este ano. No front externo, clientes importantes como Rússia e Venezuela reduziram as compras por conta da baixa do petróleo. No doméstico, o problema é que a escalada dos preços levou os consumidores a buscarem proteínas mais baratas.

Essa busca, em contrapartida, melhorou ainda mais os resultados nas cadeias de frango e suínos – e, particularmente no caso da carne de frango, as exportações brasileiras também têm sido beneficiadas pela proliferação da gripe aviária nos EUA, que fez o país perder clientes. De qualquer forma, ressalva Fontes, aberturas de novos mercados para as carnes brasileiras em geral podem levar a resultados ainda melhores para o segmento como um todo já nos próximos meses.

Mais "desafiadoras" são as expectativas para o leite, diz o analista Andres Padilla, também do Rabobank. A oferta global cresceu e a demanda da China, importante país importador de leite em pó, segue retraída, ainda que possa se recuperar ainda neste ano.

Por Fernando Lopes | De São Paulo

Fonte : Valor