Décimo terceiro frigorífico de Mato Grosso adere à regularização socioambiental proposta pelo MP

Frigobom assume compromisso de não comprar animais de propriedades que tenham produção associada ao trabalho escravo, à grilagem, à violência agrária, entre outros

Hermínio Nunes

Foto: Hermínio Nunes / Agencia RBS

MPF já recebeu os primeiros manuais de procedimentos elaborados pelas empresas que assinaram o TAC

Mais uma empresa frigorífica aderiu ao pacto pela sustentabilidade da pecuária de corte em Mato Grosso. A empresa Bombonatto Indústria de Alimentos Ltda (Frigorífico Frigobom) foi a 13ª do ramo em Mato Grosso a assinar o acordo proposto pelo Ministério Público Federal para a regularização socioambiental da cadeia produtiva da carne, uma iniciativa que atinge todos Estados que integram o bioma amazônico.
Segundo o MPF/MT, a empresa tem duas unidades em Mato Grosso. Em Sinop (500 km ao norte da capital Cuiabá) fica a unidade de abate, processamento e industrialização da carne. Em Várzea Grande, vizinho a Cuiabá, está instalada a unidade responsável pela distribuição. O abate diário atual do Frigobom é de 250 animais. Nos próximos dias, com a inauguração da nova planta do frigorífico, o abate deve aumentar para 800 animais.
O procurador jurídico do frigorífico Luiz Sérgio Rossi disse ao MPF/MT que as cláusulas do acordo proposto são passíveis de serem cumpridas e a empresa tem interesse em regularizar a sua atuação. O procurador da República Felipe Bogado afirmou que, paralelamente ao diálogo com outras empresas do ramo que tenham interesse em aderir ao acordo, o MPF está atento à fiscalização do cumprimento das cláusulas estabelecidas no termo de ajustamento de conduta (TAC).
Pelo acordo, os frigoríficos assumem o compromisso de não comprar animais de propriedades que tenham a sua produção associada ao trabalho escravo, à grilagem de terras, à violência agrária, ao desmatamento ilegal; ou que produzam sobre terras indígenas, unidades de conservação, áreas pertencentes a comunidades quilombolas e terras devolutas. O MPF já recebeu os primeiros manuais de procedimentos elaborados pelas empresas que assinaram o TAC, detalhando as ações que serão adotadas para verificar o cumprimento das cláusulas previstas para regularização socioambiental da cadeia produtiva da carne.
No caso do Frigobom, a partir da assinatura do acordo a empresa terá 90 dias para elaborar o manual de procedimentos. Os frigoríficos que já assinaram o acordo com o MPF/MT foram os seguintes: Navi Carnes Indústria e Comércio de Alimentos; Agra Agroindustrial Alimentos S/A; Carnes Boi Branco Ltda; Vale Grande Indústria e Comércio de Alimentos S/A (Frialto); Plena Alimentos Ltda; São José do Matrinchã Ltda – ME; JBS/Friboi; Frigorífico Redentor; Frical Frigorífico Ltda; Frigorífico de Várzea Grande Eireli (Frigovárzea); Superfrigo Indústria e Comércio S/A; BRF Brasil Foods S/A: e agora a Bombonatto Indústria de Alimentos Ltda – ME (Frigobom).

Agência Estado

Fonte: Ruralbr