.........

DANILO UCHA

.........

Dez grandes obras de saneamento

Guilherme Kolling, interino

A Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) tem R$ 4,4 bilhões captados para investir em obras no Estado. Até o final de 2014, serão executados R$ 1,4 bilhão, ou seja, há R$ 3 bilhões garantidos para aplicar no setor nos próximos anos, como a coluna registrou na quinta-feira. A principal fonte de recursos é o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – uma parte da verba é liberada a fundo perdido, via Orçamento Geral da União, e a outra vem através de financiamentos do Bndes e da Caixa Econômica Federal. O dinheiro está garantido, os projetos já foram aprovados pelos órgãos financiadores e tem destinação certa: construção ou ampliação de estações de tratamento de esgoto e das redes coletoras. A maior parte do trâmite burocrático foi vencida – muitas empreitadas já receberam até licença ambiental. Mas uma boa parcela dessas iniciativas ainda precisa ser licitada: R$ 2,2 bilhões. O diretor-presidente da Corsan, Arnaldo Dutra, avalia que é possível concluir os investimentos até 2018, o que elevaria de 14% para 50% o índice de esgoto tratado nos municípios servidos pela companhia. A Corsan atende a 320 cidades do Estado, sendo 40 de grande e médio porte. Porto Alegre, Caxias do Sul, Pelotas, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Bagé e Vale do Sol têm empresas próprias de saneamento. Os outros 170 municípios gaúchos possuem apenas departamentos.

Dez obras II

Corsan contratou 100 engenheiros, informa Dutra. MARCELO G. RIBEIRO/JC

Os investimentos de R$ 3 bilhões previstos para os próximos anos estão distribuídos por todo o Estado, mas os maiores ficam na Região Metropolitana de Porto Alegre, área densamente povoada, com baixíssimos índices de tratamento de esgotos e dois dos rios mais poluídos do País. Não por acaso, sete de 10 grandes obras para coleta e tratamento de esgotos serão feitas nas bacias hidrográficas do Sinos e do Gravataí, que concentram quase R$ 1,5 bilhão dos recursos. O diretor-presidente da Corsan, Arnaldo Dutra, cita avanços que podem permitir que o planejamento seja cumprido até 2018. Observa que a companhia já supriu o déficit de engenheiros, com a contratação de 100 profissionais, além de ter encaminhado as licitações pelo Regime Diferenciado de Contratações (RDC). Dutra ressalta que, além do RDC, é importante não fatiar as licitações, isto é, unificar, na medida do possível, as obras de um município em apenas um certame, de modo que o valor do investimento seja mais elevado e atrativo para grandes empresas ou consórcios. “É uma maneira de garantir que a obra seja realizada mais rapidamente e que a licitação não seja deserta”, explica.

Dilma deve vir a Esteio no dia 28

Entre os principais investimentos já executados, destaca-se a construção de uma estação de tratamento de esgoto (ETE) e de rede coletora em Esteio. Foram aplicados R$ 136 milhões, o que elevará o índice de esgoto tratado no município de zero para 90%. A presidente Dilma Rousseff é esperada para a inauguração da ETE de Esteio, que acontecerá na próxima sexta-feira, dia 28.

Pró-Guaíba e Viamão

Duas informações interessantes sobre investimentos em saneamento no Estado: as estações de tratamento de esgoto inauguradas no início da década passada em Cachoeirinha e Gravataí – financiadas pelo extinto Pró-Guaíba – deixaram de ficar ociosas, situação em que permaneceram por mais de 10 anos. É que, apesar da construção da rede coletora e das ETEs, a população não fazia a ligação com a rede. A Corsan acionou o Ministério Público, que resolveu parte do problema, tanto que a estação de Cachoeirinha já tem recursos prevendo sua ampliação. A outra curiosidade é que Viamão destoa dos outros municípios por ter previsão de grandes obras em abastecimento. A água que chega a maior parte de Viamão vem de Alvorada. A Corsan planeja captar água no Guaíba, nos limites do bairro Lami, de Porto Alegre, com Itapuã, em Viamão, e construir ali uma Estação de Tratamento de Água. É obra de R$ 58,7 milhões.

Polo do Jacuí

Apesar da crise na Petrobras e do fim das atividades da Iesa Óleo e Gás em Charqueadas, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, afirmou, nesta quinta-feira, em Porto Alegre, que a estatal está avaliando a situação do polo do Jacuí em reuniões no Rio de Janeiro. Para o ministro, é apenas questão de tempo encontrar a solução, e não há perigo de o projeto ser cancelado.

O Dia

  • Na Federasul, sexta-feira, às 8h30min, o 1° Simpósio de Direito Digital e Segurança da Informação, com palestrantes de empresas como Dell e FGV.
  • Integrantes da Câmara Arbitragem da Federasul vão apresentar o novo regulamento do órgão, nesta sexta-feira, durante o Café da Arbitragem. Debatem o tema o vice-presidente Jurídico da Gerdau, Expedito Luz, o sócio da Tozzini, Freire Advogados, Renato Ferreira da Silva, e o sócio de Souto, Correa, Cesa, Mummertz & Amaral Advogados, Cesa Ferreira da Silva. Informações: (51) 3214-0200 ou eventos@federasul.com.br.
  • Coquetel em comemoração à Independência do Líbano, às 20h desta sexta-feira, na Sociedade Libanesa (rua Barão do Rio Grande, 10), tendo como anfitriões o cônsul Ricardo Malcon e Zilmar Moussalle e José Carlos Harris, da Libanesa.
  • A Faculdade Senac Porto Alegre iniciará, sábado, o curso de extensão Entendendo e Iniciando a Utilização de Metodologia Ágil Baseado no Scrum, das 8h às 12h e das 13h às 17h.
  • A Vinícola Perini promoverá, sábado, em Farroupilha, às 14h30min, mais uma edição do Curso de Degustação de Espumantes.

Fonte: Jornal do Comércio

DANILO UCHA
ucha@jornaldocomercio.com.br
Painel Econômico

Coluna publicada em 21/11/2014