.........

Da mesa do editor.

.........

Milho
Mesmo com a colheita de milho segunda safra avançando no Paraná e no Centro-Oeste, os preços do cereal estão em alta na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea. O impulso vem do forte ritmo das exportações nas últimas semanas. A quantidade embarcada em julho foi 9 vezes superior à de junho/15 e o dobro da de julho/14. Pesquisadores do Cepea indicam que o dólar em alta tem grande influência nesse resultado, à medida que atrai vendedores para negócios de exportação e torna o grão nacional competitivo. (Cepea)

Ilegal
A Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja) divulgou um alerta aos agricultores sobre a ilegalidade da venda casada exigida pelos bancos. Ao procurarem os agentes financeiros para captar os recursos para custear o plantio da safra, "muitos agricultores se deparam com a insistência de venda de produtos atrelados à liberação do dinheiro", informa a Aprosoja, acrescentando que essa prática é ilegal, conforme o Código de Defesa do Consumidor. (Ascom Aprosoja)

Farelo
O preço do farelo de soja fechou julho em alta, acompanhando as recentes valorizações do dólar e a maior demanda internacional. Segundo levantamento da Scot Consultoria, a tonelada do alimento ficou cotada, em média, em R$1.083,00, em São Paulo-SP, sem o frete. (Scot Consultoria)

Agropec
Entre os dias 10 a 12 de agosto será realizada em Rondonópolis (MT), a Vitrine Agropec, evento promovido pelo Sindicato Rural do município e que acontece junto à programação da 43a Exposul (Exposição Agropecuária, Industrial e Comercial do Sul de Mato Grosso). (Assessoria)

Tecnocarne
Entre 11 a 13 de agosto a cidade de São Paulo sedia a Tecnocarne – 12ª Feira Internacional de Tecnologia para a Indústria da Carne e do Leite, maior evento da América Latina voltado para o segmento de processamento de proteína animal. Grandes marcas nacionais e internacionais apresentarão as mais recentes inovações tecnológicas e soluções para os setores de carne bovina, suína, aves, peixe, além do leite. (Assessoria)

ICMS
Os pecuaristas de Mato Grosso querem mudança na base de cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para a venda do boi em pé. Este é o foco das discussões do setor com o governo após o anúncio da isonomia da alíquota para o setor frigorífico em Mato Grosso e a da manutenção da alíquota para venda de boi em pé para fora do Estado. A reclamação é de que o imposto pago vem sendo cobrado em cima de um valor que não é o praticado no mercado. (Acrimat)
Sérgio de Oliveira

Fonte: Portal DBO