.........

CVM apura programa de recompra de ações da JBS

.........

Ana Paula Paiva/Valor

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu nova investigação envolvendo a JBS, totalizando onze processos administrativos desde que a delação premiada dos empresários Joesley e Wesley Batista, donos da empresa, veio à tona em maio. Agora, a autarquia vai analisar a negociação de ações da companhia no âmbito do programa de recompra aberto em 8 de fevereiro.

Quando anunciou o plano de recompra, a JBS informou que o objetivo era "maximizar a geração de valor para o acionista por meio de uma administração eficiente da sua estrutura de capital". Segundo a empresa, a intenção é adquirir até 10% dos papéis em circulação. O programa tem prazo de 18 meses, até 8 de agosto de 2018.

O processo administrativo foi aberto pela Superintendência de Relações com Empresas. A CVM também tem dois inquéritos sobre o caso, com o objetivo de aprofundar as investigações.

Na segunda-feira, o presidente da autarquia, Leonardo Pereira, disse em evento em São Paulo que o assunto está na "matriz de prioridade" da autoridade do mercado de capitais, que trabalha para que os julgamentos ocorram o mais rápido possível. Antes mesmo das declarações, advogados ouvidos pelo Valor afirmaram que a autarquia trabalha com prontidão no caso.

O mandato de Pereira encerra-se em 15 de julho. Segundo ele, não há expectativa de que os casos sejam concluídos antes da sua saída, dada a necessidade de convocar e ouvir os envolvidos e dar a eles o direito de defesa.

Por Juliana Schincariol | Do Rio

Fonte : Valor