.........

Custo da produção reduz competitividade do açúcar brasileiro lá fora, diz Datagro

.........

Segundo consultoria, países como Guatemala, Colômbia e Tailândia já estão com gastos menores do que os do Brasil

Martin Vang

Foto: Martin Vang / Stock.xchng

Consultoria aponta custos de produção como entraves no avanço do mercado de açúcar brasileiro

O custo de produção do açúcar brasileiro já está inferior ao preço verificado no mercado internacional. A informação é do gerente de Novos Negócios da Datagro Consultoria, Guilherme Nastari. Segundo ele, países como Guatemala, Colômbia e Tailândia já estão com custo de produção menor do que o Brasil e, atualmente, são competitivos no mercado mundial de açúcar.

O gasto na atividade nacional está acima de US$ 0,20 por libra-peso, valor observado na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), enquanto na Guatemala, por exemplo, o custo de produção é de US$ 0,17. O executivo informa que essa elevação do custo brasileiro reflete os problemas que o setor vem enfrentando nos últimos anos, com quebras consecutivas de safra provocadas pelo clima, redução de investimentos e perda de eficiência. Nastari ressalta que o custo superior ao preço de mercado já foi registrado antes no Brasil, em 2006.

– Naquele momento, porém, o setor tinha espaço para se alavancar e investir em expansão. Agora, o setor esta endividado, bastante alavancado e com usinas fechando portas – comenta.

Para Nastari, a solução do problema estaria no etanol, já que o excesso de cana-de-açúcar, que deixaria de ser convertido em açúcar por conta do preço baixo, iria para produção do combustível renovável.

– O fato de o etanol encontrar-se no limbo faz com que essa alternativa não seja viável, o que torna a situação do setor ainda mais preocupante – afirma.

Nastari participará da Conferência Datagro CeiseBR, que abre hoje a 20ª Feira Internacional da Indústria Sucroalcooleira (Fenasucro) e a 10ª Feira de Negócios e Tecnologia da Agricultura da cana-de-açúcar (Agrocana), no Centro de Eventos Zanini, em Sertãozinho, no interior do Estado de São Paulo.

Agência Estado

Fonte: Ruralbr