Curtas – As mais processadas

No primeiro mês do ano, concessionárias de energia e de telefonia ocuparam as primeiras quatro posições entre as empresas mais acionadas nos Juizados Especiais Cíveis do Estado do Rio de Janeiro, conforme a lista "Top 30 – Maiores Litigantes", disponível no portal do Tribunal de Justiça do Rio. No período, foram ajuizadas 20.135 ações contra as 30 empresas mais acionadas nos juizados. Entre as dez primeiras posições, a Light foi a empresa mais demandada, com 4.653 ações. A BCP (Claro, ATL – Algar, ATL, Telecom Leste S.A) veio em seguida com 1.728 ações. A Telemar Norte Leste (OI – Telefonia Fixa) ficou em terceiro lugar, com 1.168 processo. E, na quarta posição, a Ampla- Energia e Serviços, com 1.095 ações. Os bancos Bradesco e Itaú Unibanco Holding ocuparam, respectivamente, a 5ª e 6ª posições de empresas mais acionadas. Os consumidores propuseram 1.022 ações contra o Bradesco e 904 contra o Itaú. A operadora de TV Sky Brasil – Serviços Ltda – Directv, com 873 ações, ocupou o sétimo lugar na lista. O Banco Santander ficou na 8ª posição, com 842 processos. A operadora Tim em 9º lugar, com 815 ações, e a Via Varejo (Ponto Frio-Casas Bahia), com 738 ações, ficou na 10ª posição.

Orçamento da Justiça

Os órgãos do Poder Judiciário que integram a União contam neste ano com um orçamento de R$ 47,6 bilhões, maior que os R$ 45 bilhões em 2017. O orçamento foi reajustado pelo IPCA. Do total, R$ 36,6 bilhões serão destinados ao pagamento de funcionários e o restante, R$ 11 bilhões, para demais despesas.

Fonte : Valor