Cultivando vida e alternativas

Patrus conhece de perto as sementes agroecológicas da Bionatur

Para o agricultor a semente é fundamental. Em algumas culturas é sagrada. E, para as famílias do assentamento Roça Nova, em Candiota (RS), fonte de vida e renda. E para ver de perto a experiência da cooperativa Bionatur Sementes Agroecológicas, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, foi ao local, dando início a sua sétima visita do programa ‘Territórios em Foco’. Até a próxima quinta-feira (4), ele vai visitar assentamentos da reforma agrária, acampamentos e conhecer as experiências da agricultura familiar no território Zona Sul no Rio Grande do Sul.

Na Bionatur são processadas seis toneladas de sementes orgânicas por ano. A expectativa é que, em breve, aumente para 100 toneladas, com a conclusão da ampliação da unidade de Candiota, que contou com investimento de R$ 651 mil do governo federal, por meio do BNDES. Ao todo, a rede tem 60 variedades – principalmente de hortaliças – que podem ser adquiridas por qualquer produtor interessado, já que o envio pode ser feito via correspondência. Articulando mais de 180 famílias assentadas em três estados – Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná, a rede oportuniza acesso a sementes de alta qualidade genética e garantia de origem.

Para Jesun da Silva, filho de assentados e um dos responsáveis pelo do setor comercial da Bionatur, o acesso às sementes é essencial para garantir a segurança alimentar e a produção de alimentos saudáveis. “Nós defendemos que as sementes são um patrimônio da humanidade. Temos isso, como princípio dá Bionatur, de produzir as sementes e é claro ter uma renda para as famílias, comercializando e também trocando em feiras de sementes, fortalecendo ainda mais a produção de alimentos saudáveis”, realçou.

Ao conhecer a experiência desenvolvida na unidade da Bionatur de Candiota, o ministro Patrus destacou a força desta experiência. “A Bionatur demonstra que precisamos avançar no Brasil, na agroecologia, na produção de alimentos saudáveis que efetivamente promovam a saúde e a vida das pessoas”.

Na avaliação do integrante da cooperativa, a produção de sementes orgânicas melhora a renda das famílias no campo. “A produção de sementes orgânicas, hoje, traz uma boa renda para as famílias, pois agrega cerca de 30% do valor. Já que  estamos falando de sementes orgânicas, que não levam nenhum defensivo químico em sua produção, elas trazem uma boa renda e tem ótima produtividade também”, destacou Jesun da Silva.

Territórios em Foco

Para direcionar melhor as políticas públicas para o meio rural, o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) trabalha com o conceito de Territórios de Identidade. O território é formado por uma reunião de municípios que compartilham aspectos históricos, culturais, econômicos, geográficos, sociais comuns.

Dentro dos territórios, a sociedade civil e o poder público se organizam em colegiados para monitorar a execução de políticas públicas para o campo. O ministro Patrus Ananias iniciou, em julho de 2015, uma série de viagens para conhecer de pertos os resultados e desafios dessa estratégia importante para o desenvolvimento rural.

Nas atividades, estão visitas a espaços da agricultura familiar, assentamentos, acampamentos, quilombolas, colegiados e movimentos sociais. A ideia é aproximar o poder público das comunidades rurais.

Em 2015, o ministro percorreu os territórios Sertão Central (CE), Vale do Itapecuru (MA), Norte (ES), Baia de Ilha Grande (RJ), Araguaia Xingu (MT) e Alto Sertão (SE).

Mateus Zimmermann
Ascom/MDA

Fonte : MDA