.........

Criação da Embrapa Tech é fundamental, reforça governo

.........

No dia em que a Embrapa comemorou 44 anos, o Ministério da Agricultura e a própria estatal, referência mundial em pesquisa agropecuária, voltaram a defender a criação da subsidiária "Embrapa Tech" para gerar mais receita e maximizar os retornos com as parcerias firmadas com empresas privadas.

Em cerimônia ontem em Brasília, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, reconheceu a importância estratégica da Embrapa para a agropecuária brasileira, mas lembrou que a estatal vem "perdendo terreno" para concorrentes privados. Assim, disse, deve cobrar mais pelo conhecimento científico que produz.

"A Embrapa não pode abrir mão do seu conhecimento de graça. Ela está perdendo terreno, mas temos que revigorar essa empresa e pensar no seu futuro", afirmou.Segundo o ministro, esse futuro passa pela aprovação de um projeto de lei que tramita no Congresso em estágio inicial e cria a Embrapa Tech.

Maurício Lopes, presidente da estatal, reforçou que a Embrapa Tech será vital como braço de negócios para "combinar os ativos da Embrapa com os de mercado". "Tivemos um corte de 27% do nosso orçamento em 2016, mas não estamos em dificuldades", disse Lopes. Segundo ele, a Embrapa registrou "lucro social" de R$ 34,8 bilhões em 2016. O indicador leva em conta a receita e a criação de empregos que 30 empresas parceiras geraram a partir da comercialização de 200 cultivares e 117 tecnologias da Embrapa.

Por Cristiano Zaia | De Brasília

Fonte : Valor