.........

Cresce prejuízo com milho e trigo no PR

.........

Fonte:  Valor | Marli Lima | De Curitiba

As perdas provocadas por geadas em lavouras do Paraná foram maiores que as previstas no começo do mês, de acordo com levantamento divulgado ontem pelo Departamento de Economia Rural (Deral), ligado à Secretaria de Agricultura do Estado. No caso de milho safrinha, a quebra estimada passou de 35% para 37% e os prejuízos podem chegar a R$ 1,22 bilhão. Para o trigo, subiu de 9% para 12%, e o prejuízo está avaliado em R$ 147 milhões.

Além das geadas dos dias 27 e 28 de junho, foram registradas estiagens entre abril e junho e chuvas em julho, que também prejudicaram o resultado. Considerando apenas os grãos de inverno, a produção será de 3,15 milhões de toneladas, 24% menor que as 4,15 milhões obtidas no ano passado. A expectativa de recorde para o ano, com crescimento de 1% na produção total, foi frustrada. A colheita de grãos da safra 2010/11 está estimada em 30,77 milhões de toneladas, com redução de 6% em relação ao período anterior, quando foi de 32,82 milhões de toneladas.

Os agricultores do Paraná destinaram 1,72 milhão de hectares para a segunda safra de milho, área 26% maior que no ano passado, e era esperada produção de 8,19 milhões de toneladas do grão. O volume previsto atualmente é de 5,19 milhões de toneladas, 24% menor que as 6,82 milhões de toneladas colhidas na safrinha de 2010. A preocupação agora não é só com quantidade, mas também com qualidade, segundo o economista Marcelo Garrido, do Deral. Até agora a colheita de milho chega a 12% e a de trigo ainda não começou.

Para o trigo havia a expectativa de colheita de 2,87 milhões de toneladas, volume que baixou para 2,53 milhões de toneladas. A área destinada ao grão foi 13% menor. No ano passado, foram colhidas 3,45 milhões de toneladas de trigo no Paraná. Garrido ressalta que para o trigo há possibilidade de recuperação, com aumento na produtividade, porque o plantio foi concluído recentemente. De acordo com o Deral, com os danos causados pelas geadas às pastagens, a produção de leite caiu cerca de 20% em algumas regiões do Estado.

Já os agricultores gaúchos concluíram o plantio de trigo da safra 2011 no Rio Grande do Sul e a partir de agora ficam de olho no clima, já que a alta umidade do solo e a falta de luminosidade adequada prejudicaram a germinação e o desenvolvimento das lavouras semeadas nos últimos dias, informou a Emater/RS.

Mesmo assim, segundo a entidade, poucas áreas apresentam problemas decorrentes das condições desfavoráveis do clima registradas na última semana. Por enquanto, a Emater-RS mantém a estimativa de produção de 1,846 milhão de toneladas de trigo em 844,4 mil toneladas, ante 2,133 milhões de toneladas e 795,6 mil hectares no ano passado. A colheita do grão ocorre em outubro e novembro no Estado.

(Colaborou Sérgio Ruck Bueno, de Porto Alegre)