Cresce a crise na construção civil

Queda de vendas diminuiu o ritmo nos canteiros de obras

Queda de vendas diminuiu o ritmo nos canteiros de obras

Aprofunda-se a crise no setor de construção e venda de imóveis para a chamada classe média, em consequência da crise econômico-financeira e do desemprego. Uns estão sem dinheiro, outros temem perder o emprego e não fazem compromissos futuros, muitos suspenderam compras já acertadas, outros simplesmente deixaram de pagar. Uma demonstração da crise está na taxa de velocidade de vendas (relação das vendas sobre as ofertas) de imóveis novos em Porto Alegre, divulgada ontem. Ela foi de 6,86% em outubro, inferior à registrada em setembro, quando atingiu 14,55%, segundo o Departamento de Economia e Estatísticas do Sinduscon-RS. As vendas ficaram 58,72% abaixo de setembro, com 213 unidades comercializadas, contra 516 no mês anterior. No acumulado do ano, as vendas registraram retração de 6,49%, caindo de 3.666 unidades comercializadas em igual período de 2014 para 3.428 em 2015. Em outubro, houve o lançamento de um único empreendimento, na faixa de valor acima de R$ 1,7 milhão. A pesquisa é feita em 50 empresas que abrangem aproximadamente 60% do mercado. Investidor que comprou, no passado, pensando em conseguir, neste final de ano, R$ 11 mil o m2, está tendo que vender por R$ 7 mil, quase o que pagou. E a tendência é de queda nos preços dos imóveis, embora a oferta também esteja caindo, diante da falta de novos lançamentos de prédios.

Seu futuro

O Grupo Zaffari lançou o projeto D.N.A – Desejos que Narram o Amanhã. Convida os clientes a enviarem seus objetivos e sonhos para os próximos 10 anos, até o dia 23, usando um hotsite da empresa. As mensagens recebidas serão gravadas em medalhas de metal individuais e armazenadas em uma cápsula especialmente projetada para esse fim, cuja abertura está programada para o ano de 2025.

Pecuária

A pecuária é tão sensível que o fechamento de uma única unidade abatedoura pode destruir um mercado. A saída do grupo JBS/Friboi do município de Rolim de Moura, em Rondônia, derrubou o preço do boi naquele estado. Há um mês, estava em
R$ 150,00 a arroba; nesta semana, abriu em
R$ 120,00 a arroba. A indústria alegou falta de matéria-prima, mas os produtores dizem que não é verdade, pois o estado tem um rebanho de 12 milhões de bovinos. O mais certo é que a empresa quer centralizar os abates em Pimenta Bueno, para onde o transporte do gado é mais barato. Já o Marfrig fechou sua unidade em Chupinguaia, também em Rondônia, desempregando mil trabalhadores e deixando em alerta os pecuaristas.

Elefante Letrado

O Elefante Letrado, primeira biblioteca digital on-line de livros em Português e nivelados para o público infantil, criada em Porto Alegre por Scheile Vontobel e Magali Matsudo, despertou interesse nos Estados Unidos. O diretor da editora norte-americana Highlights, uma das mais importantes de livros e revistas infantis nos Estados Unidos, Andrew Shafran, veio a Porto Alegre conhecer o projeto e levá-lo para seu país.

Turistas

As autoridades gaúchas estão calculando que, pelos menos, 200 mil motoristas de Uruguai, Argentina, Paraguai e Venezuela passarão pelo Estado neste verão. Para tratar do bom atendimento aos visitantes, a Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais da Assembleia Legislativa, em conjunto com o Detran-RS, reuniu os cônsules de Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela para conversar sobre o assunto. Um dos problemas é a questão das multas de trânsito, pois, sem pagá-las, o veículo não pode sair do País.

Portos

A Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH) do Rio Grande do Sul esclareceu que áreas portuárias gaúchas farão parte dos novos leilões do Programa de Investimentos em Logística (PIL 2) da Secretaria Especial de Portos, dentro do lote 4. O presidente da Associação Brasileira de Terminais Portuários, Wilen Manteli, havia informado à coluna sobre o "desinteresse" do governo gaúcho em incluir áreas portuárias no programa.

Engenheiros

O diretor da Fundasolos, engenheiro Newton Quites, foi reeleito vice-presidente da Federação Brasileira de Associações de Engenheiros, Agrônomos e Arquitetos (Febrae) para um quarto mandato consecutivo, a ser cumprido no triênio 2016/2018. Sediada no Rio de Janeiro, a entidade congrega 400 associações da área de Engenharia de todo o País, sendo Quites o único profissional gaúcho a integrá-la.

ANTONIO PAZ/JC

Painel Econômico
DANILO UCHA
Painel Econômico

Fonte : Jornal do Comércio