.........

Crédito Rural – Não impomos regras aos bancos, diz Kátia

.........

Ministra comentou as queixas de produtores e entidades sobre exigências para liberação do crédito rural

A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, comentou na tarde de quarta-feira, 26, em São Paulo, as queixas de produtores e entidades de classe sobre a morosidade na liberação de crédito e exigências impostas pelos bancos que não vinham sendo feitas nos últimos anos, como a "hipoteca de primeiro grau" (hipoteca não vinculada a qualquer dívida). "A obrigação do governo e do Ministério da Agricultura é apresentar um bom Plano Safra, não impor regras aos bancos. Os bancos seguem (o acordo de) Basileia (que estabelece princípios para a atuação de instituições financeiras). Em determinados momentos, o mercado odeia que o governo interfira na iniciativa privada. Isso tem que valer para todos", declarou a ministra.

Kátia Abreu mencionou a reunião realizada na terça-feira, 25, em Brasília (DF), com diversas entidades do setor e com o vice-presidente de agronegócio do Banco do Brasil, Osmar Dias. "Mostramos para as entidades de classe que quem não está entendendo somos nós. Quando pega o semestre todo, houve uma redução de 9% (nos recursos liberados). Quando se considera o último mês, houve aumento de 32%. Então temos convicção de que em agosto e em setembro os recursos vão estar fluindo com naturalidade. Todos saíram de lá acreditando nisso", afirmou.

A ministra disse que alguns bancos seguem regras claras e que alguns produtores podem estar sendo enquadrados em uma categoria de risco maior. Segundo Kátia, foi solicitado às entidades de classe que enviassem os casos específicos de grupos ou regiões para que o Ministério da Agricultura pudesse tratá-los de forma especial.

A ministra disse, ainda, que a pasta está trabalhando "com toda a força" para garantir este ano pelo menos os R$ 700 milhões em recursos para o seguro rural – mesmo valor destinado no ano passado.

 ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: BDO