.........

Crédito para agricultura deve crescer 30%

.........

Fonte: Correio do Estado | DA REDAÇÃO

foto
Foto: Chico Ribeiro/Assomasul

Plano foi lançado hoje pela manhã pela secretária de Produção

Responsável por mais de 95% dos créditos rurais ao segmento no estado, o Banco do Brasil prevê um crescimento de 30% nos financiamentos em Mato Grosso do Sul no Plano Safra para a Agricultura Familiar 2011-2012 que foi lançado hoje pela presidente Dilma Rousseff na cidade de Francisco Beltrão (PR) e que, dentre outras novidades, apresenta juros mais baixos e aumento do prazo de pagamento. Na safra anterior 2010-2011 foram repassados em créditos para agricultores familiares no estado R$ 110,8 milhões em 6,541 contratos, sendo R$ 69,2 milhões em investimento e R$ 41,6 milhões em custeio através do Banco do Brasil.

“Para a safra 2011-2012 nossa previsão é de que sejam financiados R$ 143 milhões, um incremento de 30%”, disse Haroldo Cortez, analista da superintendência regional do banco, ao participar hoje pela manhã no auditório da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul) em Campo Grande de encontro promovido pela Delegacia do Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA) que prossegue até amanhã e visa orientar técnicos em assistência técnica e extensão rural do setor público e privado que atuam no credenciamento de agricultores familiares em todo o estado. Para todo o Brasil o governo terá disponíveis R$ 16 bilhões, sendo R$ 7,7 bilhões para investimentos e R$ 8,3 bilhões para custeio.

Menor juro, maior prazo

Uma das novidades do plano lançado hoje é o PGPM-AF (Política de Garantia de Preços Mínimos para a Agricultura Familiar). Além disso, a taxa de juros caiu de 4% para 2% para créditos acima de R$ 10 mil. Foi criada ainda uma linha de crédito abaixo de R$ 10 mil com juros de apenas 1%. O prazo para pagamento foi ampliado e passou de oito para até dez anos. Outra novidade, conforme Cristiano Desconsi, consultor técnico da Secretaria da Agricultura Familiar do MDA que também participa do encontro na Assomasul, é o reforço no apoio à agroindustrialização do segmento. O teto das linhas de crédito para a agroindústria familiar foi ampliado de R$ 30 mil para R$ 50 mil.

Para estar apto ao crédito, o agricultor familiar deve possuir a Declaração de Aptidão do Pronaf (DAP) fornecida em Mato Grosso do Sul através das representações da Agraer espalhadas por todo o estado que também oferecem assistência técnica aos produtores e elaboram projetos a serem enviados ao bancos. No caso de assentados rurais, a declaração pode ser obtida pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

No encontro destes dois dias na Assomasul estão sendo repassados aos técnicos detalhes sobre linhas de crédito, sobre o que mudou no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e no Programa Mais Alimentos do governo federal. “Nossos técnicos das oito regionais que atendem municípios de todas as regiões do estado estão presentes porque a Agraer é executora das ações e objetiva maior contratação de crédito por parte dos agricultores e conseqüente aumento na produtividade rural familiar”, informou José Francisco Roldão, diretor-presidente da Agraer. Além dos citados, a abertura do evento aberto pelo delegado do MDA no estado, Celso de Arruda, contou também com participação da secretária estadual da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur), Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias.

(com informações da Assomasul)