Crédito do Banco do Brasil para safra 2013/14 cresce 14%, para R$ 70 bilhões

Com os custos de produção em alta no campo e as cotações de algumas commodities em queda, o Banco do Brasil anunciou ontem que vai disponibilizar R$ 70 bilhões em crédito para a safra de grãos 2013/14, iniciada oficialmente ontem. Trata-se de um aumento de 14% em relação aos R$ 61,5 bilhões emprestados na temporada passada e de 27% ante os R$ 55 bilhões inicialmente projetados para o ciclo 2012/13.

Além de mais dinheiro, o Plano Agrícola e Pecuário (Plano Safra) de 2013/14 prevê uma maior partição de recursos com juros controlados e mais baixos, prazos mais longos de pagamento, além de linhas para investimento em logística e agricultura de baixo carbono, enfatizou ontem o vice-presidente de Agronegócios do BB, Osmar Dias.

Do montante a ser repassado pelo Banco do Brasil, R$ 13,2 bilhões são destinados a financiar a agricultura familiar. Outros R$ 56,8 bilhões estão disponíveis para médios e grandes produtores, além de cooperativas rurais. "Os programas de investimento do banco estão ajudando a gerar empregos no campo. Hoje [ontem] anunciamos o maior plano safra da história e um recorde de recursos do BB", afirmou Dias.

Do total, 94% serão emprestados a juros controlados – nas linhas para financiar investimentos, 99% dos recursos têm juros controlados; nas de custeio e comercialização da safra, 92%.

Com uma carteira rural de cerca de R$ 108 bilhões, o BB registrou, no primeiro trimestre, taxa de inadimplência de 0,6%. O resultado, divulgado pelo vice-presidente de Agronegócios do BB, foi considerado excelente. "O desembolso está acima das previsões em todas as linhas, e a inadimplência se mantém baixa", explicou Dias.

As linhas enquadradas na Política de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) somam R$ 10,1 bilhões, 39% a mais do que o projetado para a safra 2012/13 e 8% a mais do que o desembolsado no período. A participação de mercado do banco nessa categoria é de quase 90%. Na agricultura familiar, serão disponibilizados R$ 13,2 bilhões, alta de 26% ante o projetado e de 12% sobre o desembolsado na safra 2012/13.

Um dos destaques do BB é o custeio antecipado, que permite negociar insumos antes do início da safra. Na safra passada, foram desembolsados R$ 5,2 bilhões, 43% acima do contratado na safra passada. Os recursos ficam à disposição a partir de fevereiro. A ferramenta permite comprar os produtos antes da alta dos preços que vem com a forte demanda em junho e julho. Para o programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC), o banco vai disponibilizar R$ 4 bilhões para a safra atual, 56% acima do montante desembolsado no ciclo anterior.

Osmar Dias voltou a repetir que, a exemplo da safra 2012/13, não faltará dinheiro ao produtor. Segundo o vice-presidente de agronegócios, caso todos os recursos de uma linha sejam contratados, o banco vai disponibilizar mais. "Não vamos deixar faltar dinheiro nem para o pequeno produtor nem para o médio", disse.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3181718/credito-do-banco-do-brasil-para-safra-201314-cresce-14-para-r-70-bilhoes#ixzz2XtKsQ2TI

Fonte: Valor | Por Tarso Veloso | De Brasília