Cotação do dólar interfere no preço dos insumos usados na agricultura

Muitos são importados e estão assustando os produtores de SP.
Na hora de ir às compras, é preciso reduzir os gastos.

Do Globo Rural

Comente agora

Na propriedade de Antônio José Passos, em Poloni, noroeste de São Paulo, a colheita da cana está adiantada e ele já começou a adubar as áreas colhidas com o produto que comprou o ano passado.

Mas o agricultor anda preocupado. O adubo estocado só dá para 30 hectares e ele vai precisar adubar uma área de 1,5 mil hectares. Antônio já começou a cotar os preços e levou um susto. “O ano passado comprei no fim de maio e paguei R$ 1.050 a tonelada, hoje o preço está em R$ 1.280", diz.

Nos últimos 12 meses, os preços dos adubos se mantiveram estáveis, com pequenas oscilações, o problema foi a alta do dólar. Como a maioria da matéria prima desses produtos é importada, o reflexo nos preços foi imediato.

Em uma loja de produtos agropecuários, os preços dos adubos subiram entre 7% e 10%, nos últimos 30 dias. Os produtores reagiram e a procura nesta época, que costuma ser grande, já diminuiu.

Segundo a Anda, Associação Nacional Para Difusão de Adubos, foram comercializados 2,3 de toneladas de fertilizantes em maio deste ano. Em relação à maio do ano passado, a queda é de 2%. Os dados de junho ainda não foram divulgados.

Fonte: G1