Cooperativas brasileiras registram US$ 4,6 bilhões em exportações

Fonte: PORTAL AGROSOFT

As exportações das cooperativas brasileiras continuam crescendo. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), as vendas do setor entre janeiro e setembro de 2011 somaram US$ 4,6 bilhões. O resultado indica aumento de 35,5% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando foi contabilizado o valor de US$ 3,4 bilhões. A balança comercial do segmento também seguiu com saldo positivo, chegando a US$ 4,3 bilhões, total 35,6% superior ao registrado nos nove primeiros meses de 2010, quando atingiu US$ 3 bilhões.

A tendência, segundo o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas, é manter o ritmo de crescimento. "O movimento cooperativista tem alcançado resultados cada vez melhores, que são consequência de uma visão focada na gestão profissional do negócio. O histórico confirma isso. Em 2005, por exemplo, fechamos com US$ 2 bilhões, e a expectativa é chegar a praticamente US$ 6 bilhões em dezembro deste ano", diz.

PRODUTOS

No grupo de produtos exportados pelas cooperativas brasileiras, figura em primeiro lugar o complexo sucroalcooleiro, com US$ 1,7 bilhão, respondendo por 37,7% do total. Em seguida, aparece o complexo soja, com US$ 1 bilhão e 22,1%. Café em GRÃOS fechou o período com US$ 534 milhões, representando 11,7% das vendas. Carne de frango também está entre os principais itens e registrou US$ 397,3 milhões, correspondendo a 8,7%. Vale citar ainda o trigo, com US$ 241,5 milhões e 5,3% das exportações.

O gerente de Ramos e Mercados da OCB, Gregory Honczar, explica a liderança do complexo sucroalcooleiro. "O resultado reflete a alta de preço principalmente do etanol. Por um lado, devido à restrição da oferta internacional, também resultante da quebra da safra brasileira da cana-de-açúcar. Por outro, pela qualidade do produto nacional, que conta com o balanço energético mais equilibrado, o que vem atender a um mercado cada vez mais voltado à sustentabilidade. Afinal, estamos falando do combustível verde. Isso explica a performance do estado de São Paulo nas vendas das cooperativas ao exterior. E tudo indica que o preço mais elevado deverá se manter até o final do ano", avalia.

ESTADOS EXPORTADORES

Na relação dos estados exportadores, São Paulo registrou o maior valor, com US$ 1,6 bilhão, representando 34,1% dos negócios do setor, assumindo, assim, a liderança. Paraná, que, até então, aparecia em primeiro lugar, fechou com US$ 1,5 bilhão e 33,8% do total. Na terceira colocação, está Minas Gerais (US$ 560,2 milhões – 12,2%), seguida do Rio Grande do Sul (US$ 314 milhões – 6,9%) e Santa Catarina (US$ 212,6 milhões – 4,6%).

MERCADOS

A China, mais uma vez, aparece como o principal mercado de destino dos produtos cooperativistas. De janeiro a setembro, os chineses compraram US$ 601,5 milhões. O valor corresponde a 13,1% das exportações do segmento. Emirados Árabes ocupou a segunda colocação, com US$ 465,5 milhões e 10,2%. Na sequência, estão Estados Unidos (US$ 385,2 milhões – 8,4%), Alemanha (US$ 360,9 milhões – 7,9%) Países Baixos (US$ 235,6 milhões – 5,1%) e Japão (US$ 206,6 milhões – 4,5%).