Contexto

Apesar do peso que ganhará no mercado de sementes quando concluir a aquisição de parte dos negócios da Bayer CropScience, a Basf permanecerá fora da área de híbridos de milho, responsável por US$ 2,5 bilhões em vendas no Brasil em 2016, de acordo com a Kleffmann. Mesmo assim, será o início da atuação da múlti num mercado considerado "a porta de entrada dos insumos". É com a semente que a indústria tem se aproximado de produtores e conseguido "fidelizar" clientes. Essa pode ser uma estratégia interessante num momento em que os estoques de agrotóxicos na América Latina estão bem acima do ideal e de vendas em queda na região. No ano passado, a receita na América do Sul da Basf caiu € 57 milhões, para € 1,3 bilhão, devido ao menor volume de inseticidas vendido no país. Além dos estoques elevados no canal de distribuição, houve queda de consumo na região, decorrente, sobretudo, da baixa necessidade de produtos na safra 2015/16. Globalmente, a receita da Basf somou € 5,6 milhões, retração de 4%. No ano passado, a companhia ficou com 12% das vendas globais de defensivos químicos e em terceiro lugar no ranking do setor.

Fonte : Valor