.........

Consórcio planeja aumentar produtividade na Baixada

.........

Parceria entre nove municípios da região metropolitana terá apoio técnico da Emater-Rio; cidades movimentam R$ 153 milhões com produção familiar

Rio de Janeiro – A Baixada Fluminense geralmente é rotulada como berço de cidades-dormitório ou pólos industriais. Mas a região também tem sua faceta "roça", que inspirou a formação de uma parceria agrícola.

A formação do Consórcio Internunicipal de Agricultura da Baixada vai reunir nove municípios. A ideia é desenvolver políticas públicas para o segmento e promover o intercâmbio e capacitação entre as áreas agropecuárias das cidades – todas de cunho familiar e de pequenas propriedades.

As cidades que farão parte desse cinturão são Duque de Caxias, Guapimirim, Japeri, Magé, Nova Iguaçu, Paracambi, Queimados e Seropédica. Segundo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio de Janeiro (Emater-Rio), o consórcio reúne 4.125 produtores familiares. Magé é a cidade com mais agricultores (1.100), seguida de Caxias (795) e Nova Iguaçu (755).

"Há uma carência no setor, que, individualmente fica mais difícil para o município suprir. O consórcio permite uma articulação maior. Estamos falando de uma população de 4 milhões de pessoas, um quarto da população do estado do Rio e um enorme potencial para produção de agropecuária", defende Jorge Ferreira, da Coordenadoria de Planejamento da Superintendência Regional da Emater-Rio.

Raízes

Ao todo, as atividades agropecuárias das nove cidades movimentam quantias superiores a R$ 150 milhões. Só a produção agrícola responde por 75% desse total. A atividade faturou mais de R$ 120 milhões, desempenho bem superior à bovinocultura de corte, com R$ 16 milhões e 10% de participação.

Da atuação agrícola, o cultivo de raízes é o destaque, com 44% de participação no faturamento. Na sequência, as olerículas de frutos aparecem com 22%, seguida da fruticultura, com 20% e da cana-de-açúcar, com 11% e concentrada principalmente em Duque de Caxias devido à proximidade com a refinaria da Petrobras, a Reduc – veja na reportagem abaixo os cultivos que mais se destacam nas cidades que fazem parte da parceria.

Com o consórcio, o objetivo vai além de aumentar esta capacidade produtiva. A meta é aumentar a capacitação da mão de obra no campo, aprimorar técnicas de produção e elevar a competitividade e o faturamento do segmento.

Apoio

A ação vai envolver não só a Emater-Rio, como também as secretarias estadual e municipais de agricultura, além de outros órgãos e entidades do setor agropecuário. "A Emater vai apoiar tecnicamente todos os projetos e demandas. Outros programas serão encaminhados para os órgãos competentes", explica Jorge Ferreira.

A parceria também pretende promover e demandar ações de infraestrutura. Aspectos como as condições das estradas que cortam os nove municípios da Baixada Fluminense que compõem o consórcio e a elevada ocorrência de roubos de cargas também estarão na pauta. "Vamos trabalhar a melhora da parte técnica dos produtores, mas o consórcio também vai tratar da infraestrutura da região. Ações conjuntas para aumentar a produtividade", aposta Ferreira.

Fernando Miragaya

Fonte : DCI