.........

Conab vende mais de 80 mil t de milho

.........

 

Foram realizados dois leilões do produto. Em algumas praças houve ágio; noutras, desinteresse

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vendeu 12,52% da oferta total da primeira etapa do leilão de venda de milho na manhã desta terça-feira, 16, edital número 15, o equivalente a 7,721 mil toneladas, das 61,656 mil toneladas ofertadas. O ágio médio do pregão foi de 4,07%.

Houve disputa apenas em Tapurah (MT), Dourados (MS) e em um dos quatro lotes ofertados em Sorriso (MT). O lote mais disputado foi em Tapurah, de 595.610 kg, onde o ágio foi de 24,36%. Nessa praça, o milho foi adquirido a R$ 29,10 a saca, ante R$ 23,40 do valor de abertura.

Em seguida, ficou Dourados, com ágio de 12,5%. As 1,22 mil toneladas ofertadas na região foram vendidas a R$ 35,10 a saca, ante preço de abertura de R$ 31,20/saca. Um dos lotes de Sorriso teve ágio de 3,85%, e 640 toneladas (76,94% do total) foram arrematadas por R$ 24,30/saca.

Não houve demanda por um dos lotes colocado à venda em Ipiranga do Norte, de 10,076 mil toneladas. Em Sorriso, em um dos lotes, de 22,049 mil toneladas, foram arrematadas apenas 575 toneladas, o correspondente a 2,61% do total oferecido naquele armazém.

O segundo leilão registrou demanda para 50,95% da oferta de 150 mil toneladas armazenadas em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Foram vendidas 76,436 mil toneladas. Alguns lotes foram disputados e houve ágio sobre o valor de abertura.

Em Mato Grosso, 595 toneladas de milho de Tapurah, colocadas à venda por R$ 23,40 a saca de 60 quilos, saíram a R$ 29,10/saca, ágio de 24,3%. Lote de 810 toneladas de Lucas do Rio Verde saiu a R$ 27,90/saca, 19,2% acima. As 480 t de Sapezal foram negociadas a R$ 26,40/saca, 13% mais.

Também houve disputa pelas 1,2 mil toneladas armazenadas em Dourados (MS), ofertadas a R$ 31,20/saca e arrematadas por R$ 35,10/saca, valor 12,5% acima do valor de abertura, que neste caso era de R$ 31,20/saca.

Vários lotes não despertaram qualquer interesse, caso de produto de Ipiranga do Norte (MT), onde dois dos três lotes colocados à venda, de 783 toneladas e 3,699 mil toneladas, não foram negociados. Também não houve demanda por lote de Tabaporã (MT), de 1,394 mil toneladas.

Até o momento, a Conab não confirmou data para um eventual terceiro leilão de estoques.

 ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: Portal DBO