Conab e IBGE confirmam safra recorde

Soja lidera a produção, com crescimento de 15,073 milhões de toneladas; ja a safra de milho safrinha em Mato Grosso pela primeira vez supera a do Paraná

por Globo Rural On-line, com informações das agências de notícias

Ernesto de Souza

Área plantada de soja atingiu 27,721 milhões de hectares, um incremento de 10,7% em relação à safra anterior

As estimativas para a safra brasileira divulgadas nesta terça-feira (9/7) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam para uma produção nacional recorde no ciclo 2012/2013. Enquanto a Conab estima a produção em 185,05 milhões de toneladas, o levantamento do IBGE aponta para 185,7 milhões de toneladas.
Em relação a 2012, a safra terá um crescimento de 11,4%, segundo a Conab, e de 14,7%, de acordo com o IBGE. No ano passado, houve uma quebra na produção de soja causada pela estiagem na Região Sul. Já neste ano, a produção de milho no Nordeste foi prejudicada pela seca, o que levou o IBGE a rever os números previstos em maio para a safra.

A Conab também atualizou os dados de área plantada, passando de 53,204 milhões de hectares no último levantamento para 53,220 milhões de hectares na estimativa atual. A soja lidera o plantio, com 27,72 milhões de hectares, área 10,7% superior à semeada na safra passada. O milho de inverno foi outro destaque dos levantamentos. Segundo a Conab, a área de milho de segunda safra aumentou em 8,95 milhões de hectares. Pela primeira vez na história, a produção superou a safra de verão e deve atingir 44,242 milhões de toneladas. O Estado do Paraná, tradicionalmente o maior produtor, foi superado pelo Mato Grosso, cuja área teve um aumento de 703,7 mil hectares (26,8%).

Os destaques na perda de área foram para o algodão (queda de 35,8% para 985 mil hectares), milho de primeira safra (queda de 8,8% para 6,892 milhões de hectares) e feijão total (queda de 6,2% para 3,061 milhões de hectares).

Confira abaixo o desempenho das principais culturas de acordo com os levantamentos:

Soja

A Conab confirmou recordes históricos para as lavouras de soja em área cultivada, produção e produtividade. O desempenho é atribuído ao clima favorável e também ao elevado nível das cotações internacionais, que possibilitou boa rentabilidade na comercialização antecipada da oleaginosa. A produção cresceu 15,073 milhões de toneladas (22,7%) em comparação às 66,383 milhões de toneladas colhidas na safra passada.

Já a área plantada atingiu 27,721 milhões de hectares, um incremento de 10,7% em relação à safra anterior. A produção nacional de soja é estimada em um patamar histórico de 81,456 milhões de toneladas, volume 22,7% superior ao colhido na safra anterior.

Já de acordo com o IBGE, a produção neste ano deve ter um crescimento de 23,8% em relação a 2012. O recorde na produção ocorre em virtude das melhores condições climáticas e dos bons preços no mercado. A área plantada é 10,8% maior do que no ano anterior e Mato Grosso segue como maior produtor, com 28,8% do total. Entretanto, de acordo com técnicos do instituto, o grão deve ter a qualidade afetada no Estado, por causa do ataque de pragas e doenças no fim do ciclo da safra atual.

Milho

Para a Conab, a estimativa de milho de inverno (safrinha) deve atingir o recorde histórico de 44,242 milhões de toneladas. A produtividade do milho de segunda safra atingiu o recorde de 84 sacas por hectare no Paraná, favorecida pelas condições climáticas, que também incentivaram os produtores a semear uma área recorde de 2,169 milhões de hectares. Segundo a Conab, o aumento de 114 mil hectares (7,1%) na área cultivada de milho safrinha no Paraná foi a segunda maior do País. A expansão do plantio foi mais destacada em Mato Grosso, onde a área aumentou em 703,7 mil hectares (26,8%) para 3,349 milhões de hectares.
A Conab estima a segunda safra de milho de Mato Grosso em 18,604 milhões de toneladas, volume 3,578 milhões de toneladas (23,8%) superior ao colhido na safra passada. A produtividade do milho de segunda safra em Mato Grosso caiu de 94,95 sacas para 93,15 sacas por hectare.
Apesar da queda na estimativa de produção de milho na primeira safra, o IBGE também prevê que a colheita total será recorde em 2013, com um aumento de 9,7% em relação a 2012. A safra de inverno alavancou o crescimento da produção em 14,8% em relação ao ano anterior. A safrinha já corresponde a 55,9% do total de milho produzido no país. O instituto também apontou o Mato Grosso como o principal responsável pelo crescimento. Esta é a primeira vez que o Estado lidera a produção nacional, com 18.414.375 toneladas. O Paraná, tradicionalmente o principal produtor, neste ano sofreu com um aumento das chuvas na região, o que diminuiu a produção. Juntos, Paraná e Mato Grosso concentram 46,6% da produção nacional de milho.

Cana

De acordo com o IBGE, a cana-de-açúcar terá uma safra 10,3% maior em 2013 na comparação com 2012, o que representa 69.143.863 toneladas a mais, indicando a retomada do crescimento após queda nos últimos cinco anos. De acordo com o levantamento do instituto, os incentivos aos veículos flex e a expectativa com o potencial petrolífero do pré-sal contribuíram para a retomada da cultura. O Estado de São Paulo, principal produtor nacional com 55,6% de participação, deve registrar uma alta de 15% em sua produção e de 5,7% na área de colheita. Já na área total espera-se redução de 7,1% na comparação com a safra de 2012.

Café

O IBGE estima uma queda de 7% na produção nacional de café neste ano, quando devem ser produzidas 2.847.931 toneladas, ou 47,5 milhões de sacas de 60 kg de café em grãos. A queda acontece em virtude da falta de chuvas e altas temperaturas no Espírito Santo, segundo maior produtor nacional. No Estado, a produção deste ano do café caiu 16,1% em relação a 2012 e pode continuar em baixa por causa das condições climáticas desfavoráveis. A safra de robusta corresponde a 23,1% do total da produção de café no País e o Espírito Santo responde por 75,1% da produção.

Já a variedade arábica, a principal do país, deve apresentar redução de 4,9%. As quedas foram verificadas, principalmente, em São Paulo (-18%) e Minas Gerais (-5,8%), os dois maiores produtores. Segundo os técnicos, a queda ocorre em virtude das características da planta, que alterna ciclos de alta e baixa produtividade (bienalidade).

Trigo

O trigo registrou alta na produção. A safra abrange uma área 7,7% maior que em relação 2012. A estimativa para a produção em junho é de 5.557.329 toneladas, 0,8% maior em relação à pesquisa de maio. Conforme o IBGE, Paraná e Rio Grande do Sul respondem por 92,8% da área plantada e 92,0% da produção nacional de trigo. No Paraná, 85,0% da área estimada a ser plantada em 2013 encontra-se consolidada, estando as lavouras nas fases de germinação e desenvolvimento vegetativo.

No Rio Grande do Sul, a estimativa do IBGE para a produção do trigo em junho é de 2.427.620 toneladas, indicando um aumento de 30,1% em relação a 2012. O instituto destaca o aumento do rendimento, que deve expandir 24,3%.

Algodão

Os dados da estimativa de safra de algodão da Conab mostram poucas alterações em relação ao levantamento anterior. A área cultivada apresenta recuou de 35,8% para 895 mil hectares. Os técnicos lembram que a retração se deve a queda dos preços da fibra nos mercados interno e externo, aos altos custos de produção, e aos atraentes preços do milho e da soja. A produção brasileira de algodão é estimada em 1,262 milhão de toneladas de pluma, volume 32,8% (615,3 mil toneladas) abaixo das 1,877 milhão de toneladas colhidas na safra 2011/2012.

Fonte: Globo Rural