.........

Conab confirma quebra superior a 50% da safra gaúcha de trigo

.........

Foto: Diogo Zanatta/Especial

Prejudicada pelo excesso de umidade, a colheita de trigo no Rio Grande do Sul foi reduzida pela metade. Conforme levantamento divulgado nesta quarta-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção foi de 1,5 milhão de toneladas _ uma redução de 52% em relação ao ano passado, quando foram colhidas 3,1 milhões de toneladas do cereal no Estado.

A queda de produtividade, segundo a Conab, foi de 56%, com um média de 1.330 quilos por hectare (22 sacas por hectare). Em 2013, os gaúchos colheram mais de 3 mil quilos por hectare (50 sacas por hectare).

E para piorar o cenário, das pouco mais de 1,5 milhão de toneladas colhidas na safra frustrada, quase 1 milhão não têm qualidade mínima para moagem e também não podem ser destinadas à ração animal no mercado interno — devido ao alto teor de micotoxina (toxina produzida por fungos). Para escoar a produção estocada em cooperativas e cerealistas, a alternativa encontrada foi a exportação do grão para países da África e da Ásia, onde os padrões de controle alimentar são menos rigorosos.

Até o começo da semana, de acordo com o Termasa/Tergrasa, único terminal no porto de Rio Grande que exporta trigo, foram embarcadas 170 mil toneladas. E a previsão de carregamentos até o fim do ano é de mais 230 mil toneladas.

Mesmo assim, ainda restariam outras 600 mil toneladas sem qualidade para moagem — com peso hectolitro (PH) inferior a 72 — a serem escoadas no mercado externo.

— E a janela de exportação vai, no máximo, até meados de fevereiro, quando o milho passa a ter prioridade no porto — diz Hamilton Jardim, presidente da Comissão de Trigo da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), alertando que o produtor precisa ser rápido para não ficar com o grão estocado e sem mercado.

Postado por Joana Colussi, às 11:30

Fonte: Zero Hora