.........

Comunidades quilombolas receberão casas do governo federal em agosto

.........

Moradias fazem parte do Minha Casa Minha Vida Quilombola.
São Pedro dos Bois é a primeira da Região Norte a acessar o programa.

Gabriel Penha Do G1 AP

Anúncio foi feito nesta terça-feira (28), durante seminário na Caixa Econômica em Macapá (Foto: Gabriel Penha/G1)Anúncio foi feito nesta sexta-feira (28), durante
seminário na Caixa Econômica em Macapá
(Foto: Gabriel Penha/G1)

A comunidade de São Pedro dos Bois, na zona rural de Macapá, deverá ser a primeira do Estado do Amapá e da região Norte a receber as casas do programa habitacional "Minha Casa Minha Vida Quilombola", do governo federal. A previsão de entrega das 39 moradias é para o dia 30 de agosto e o valor do projeto na localidade é de R$ 1.189.50,00.
A construção das casas está inserida no Programa Nacional de Habitação Rural. A execução do programa é feita pela Caixa Econômica Federal (CEF). O gerente regional da Caixa no Amapá, Célio Lopes, diz que o Estado se diferencia na organização e articulação para acessar os recursos e execução das obras.
"A comunidade de São Pedro dos Bois, por exemplo, se destaca por sua articulação para acessar as obras, procurando entender as exigências e sistemáticas. Foram várias reuniões, com participações das lideranças, o que já incentivou a participação de outras comunidades", avalia Lopes.
João Batista Fortunato, de 63 anos, conhecido como seu "Paredão", é líder comunitário em São Pedro dos Bois. Desde 2011, quando aconteceram as primeiras reuniões com a Caixa, buscou resolver entraves burocráticos para que a comunidade não deixasse de receber as casas do governo federal. Teve papel decisivo para que o projeto se tornasse realidade.
"Não dava para esperar. A parte burocrática foi difícil, mas tivemos apoio de pessoas, inclusive fora da esfera pública. Foram várias andanças na Caixa, mas no fim deu tudo certo. Me sinto feliz, foi um sonho que virou realidade. Devemos pensar na comunidade, não no individual", lembra seu Fortunato.
"O diferencia disso tudo foi o grande interesse das comunidades quilombolas para não perder essa oportunidade. Fizemos a intermediação entre as lideranças e a Caixa, no início. O resultado é que o Estado está beneficiado com o programa habitacional", endossa a secretária de Políticas para Afrodescendentes do Ampá, Neucirene Almeida de Oliveira. O órgão promoveu a aproximação entre as comunidades quilombolas e a Caixa Econômica no Amapá.

Previsão de entrega das 39 moradias é para o dia 30 de agosto  (Foto: Gabriel Penha/G1)
Previsão de entrega das 39 moradias é para o dia 30 de agosto (Foto: Gabriel Penha/G1)

Outras comunidades beneficiadas
Na próxima fase do "Minha Casa Minha Vida Quilombola" no Amapá está prevista a inclusão de seis comunidades para receber as moradias. Deverão ser beneficiadas as regiões do Rosa, Conceição do Maracá, Igarapé do Lago, Conceição do Maracá, Curiaú e Ilha Redonda.
O protocolo de lançamento das obras nessas áreas deve ser assinado no início do mês de agosto. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (28), durante seminário na Caixa Econômica em Macapá, que discutiu a execução do programa habitacional no Estado.

Fonte: G1