.........

Compra da Monsanto pela Bayer deve ser finalizada este ano, diz CEO global

.........

A aquisição da americana Monsanto pela alemã Bayer deve ser finalizada ainda neste ano, segundo Hugh Grant, presidente do conselho e CEO global da Monsanto. O executivo afirmou, durante o evento "Global Agribusiness Forum" ontem, que após a conclusão do negócio "as pesquisas em inovação serão aceleradas".

Segundo Grant, após a aprovação da venda para a Bayer, os investimentos em pesquisa e desenvolvimento na Monsanto subirão de US$ 1,5 bilhão anuais para US$ 2,5 bilhões por ano, considerando o investimento anual de US$ 1 bilhão feito nessa área hoje pela alemã.

Nesta semana, a Comissão Europeia aprovou a fusão entre as americanas DuPont e Dow Chemical, o primeiro dos três grandes negócios do setor a receber o aval do órgão de proteção à concorrência da União Europeia. A expectativa é de que a venda da Syngenta à ChemChina, outra das operações que marcam a consolidação do setor, seja aprovada ainda neste mês e que a aquisição da Monsanto pela Bayer seja aprovada na até o fim de abril. Para Grant, essas negociações contribuíram para a integração dos conhecimentos tecnológicos do agronegócio.

O CEO global ressaltou que nos últimos 20 anos, a Monsanto tem lançado patentes de tecnologias de sementes e isso continuará após a conclusão da venda para a Bayer. A negociação deverá deixar a tecnologia mais acessível, avaliou.

Para ele, o maior desafio da agricultura é dobrar a produção de alimentos usando a área disponível atualmente para cultivo. O executivo acredita que problemas globais, relativos ao solo, mudanças climáticas e à seca, precisam de soluções globais, mas com algum nível de solução regionalizada. "A [semente] Intacta é um exemplo de solução criada, desenvolvida e lançada no Brasil e para o Brasil", afirmou.

Um dos maiores desafios hoje, avaliou Grant, é integrar as soluções, muito fragmentadas, para a agricultura tropical. "A ciência de dados ajudará a integrar ciências e conhecimentos para o desenvolvimento de soluções", disse, citando como exemplos tecnologias na área de defensivos, fertilizantes, desenvolvimento de sementes, maquinários e soluções biológicas.

Por Kauanna Navarro | De São Paulo

Fonte : Valor