.........

COLABORADOR | Mais produção, renda e inclusão social no campo | Ivar Pavan

.........

O Rio Grande do Sul teve a melhor safra da história em termos de valor da produção. Entre os fatores decisivos para este resultado, destacamos o fato de o Rio Grande do Sul ser o único Estado que possui um Plano Safra alinhado e complementar ao nacional. Tal plano organiza a estratégia do governo do Estado para o desenvolvimento rural, agregando renda, melhorando a qualidade de vida e incentivando a permanência do agricultor familiar no campo.

Os planos 2011/2012 e 2012/2013, construídos com a participação de diversos órgãos estaduais e federais e das organizações que atuam no meio rural, tiveram as medidas executadas ou estão em execução. Ao todo, foram investidos R$ 4,7 bilhões, beneficiando mais de 300 mil famílias, especialmente as mais necessitadas.

Entre as medidas destacamos ações de prevenção e combate à estiagem, por meio da criação do Cartão Emergência Rural, do acesso à anistia do Troca-Troca de sementes, da implantação do Programa Irrigando a Agricultura Familiar (investimentos de R$ 109,8 milhões) e o seguro agrícola federal (45 mil laudos no valor de R$ 400 milhões).

Para o cooperativismo, destacamos as ações na área da gestão, do crédito e dos incentivos fiscais. No setor leite, ressaltam-se a assistência intensiva a mais de 12 mil famílias e R$ 24,2 milhões em investimentos. Outras medidas importantes desenvolvidas são: o apoio a 1.171 agroindústrias (investimentos de R$ 17,4 milhões); a revitalização da Ceasa (investimento de R$ 8,1 milhões); a qualificação dos assentamentos (investimento de R$ 45,4 milhões, visando tornar a reforma agrária uma referência). Agora estamos lançando o Plano Safra 2013/2014, ampliando a abrangência dos programas já anunciados e inovando especialmente com políticas específicas de incentivo e saúde dos jovens trabalhadores do campo.

O Safra reafirma a convicção de que o Estado tem um papel fundamental como indutor do desenvolvimento e redutor das desigualdades sociais e regionais. E isso se pressupõe com investimentos e também com a valorização da cooperação como estratégia, maior controle no processo produtivo e geração de renda, sustentabilidade social e ambiental, garantindo, assim, melhoria da qualidade de vida.

secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR)

Fonte: Correio do Povo