.........

Código Florestal – Proposta alternativa será apresentada

.........

Apesar de o deputado Aldo Rebelo (PCdoB) já ter alterado pontos polêmicos no projeto que quer modificar o Código Florestal, a proposta está longe de ser aceita por pesquisadores, ambientalistas e até pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). A proposta, desta online pharmacy without prescription vez, veio do próprio MMA, que afirmou que apresentará uma nova proposta de reforma da lei.

O MMA se opõe ao novo código e informou, conforme publicado pelo jornal Folha.com, que vai tentar corrigir os pontos diet pill acomplia críticos do atual projeto em forma de um substitutivo ou de destaques ao projeto, quando o assunto for discutido no plenário da Câmara.

Entre os pontos mais criticados do atual projeto estão à anistia de desmatadores, a utilização de encostas e topo de morros para plantios e a redução das Áreas de Preservação Permanente (APP).

Artigo publicado este mês na revista Science, assinado por seis pesquisadores brasileiros, também criticou a proposta de alteração do Código Florestal em trâmite na Câmara dos Deputados, em Brasília.

A informação é que o artigo representa a seqüência do movimento que pesquisadores e entidades científicas nacionais deflagraram logo que a proposta de reforma do Código Florestal foi apresentada.

O projeto de alteração do Código Florestal que será votado pelo plenário em breve “tem potencial para trazer conseqüências gravíssimas não apenas para as áreas de florestas, que poderão dar lugar a novas faixas de produção agrícola, mas também para outros biomas, como cerrados e áreas de várzeas, para ficar em apenas dois exemplos”.

Os pesquisadores reforçaram ainda que em nenhum momento a comunidade científica foi ouvida durante o trabalho de formulação da proposta de reforma do Código Florestal.

As reivindicações por um debate mais amplo sobre o projeto também têm apoio de entidades da sociedade civil, ONGs, Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e Academia Brasileira de Ciências (ABC), entre outras instituições.

Fonte: Século Diário.com