.........

CMN aprova revisão de dívidas agrícolas

.........

Medida contempla custeio e investimento de áreas atingidas pela seca

 Com safra perdida, produtores ganharam mais prazo para pagar débitos<br /><b>Crédito: </b>  MARCOS TATSCH

Com safra perdida, produtores ganharam mais prazo para pagar débitos
Crédito: MARCOS TATSCH

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou, ontem, a renegociação das dívidas de agricultores que tiveram prejuízo em municípios em situação de emergência devido à seca na safra 2011/2012. A decisão permite aos bancos parcelar o saldo devedor dos custeios em até dez anos. A primeira parcela só vencerá um ano depois da assinatura da renegociação. De acordo com o Ministério da Fazenda, débitos parcelados em janeiro poderão ser renegociados novamente.
A medida autorizada ontem foi anunciada pelo ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, durante a abertura da Expointer, e traz alento para os produtores gaúchos. "Vamos aguardar a medida na íntegra e sua regulamentação. Amanhã (hoje) vamos fazer análise aprofundada", informou o presidente da Farsul, Carlos Sperotto. O vice-presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva, reconhece a ajuda, mas destaca que o ideal seria prazo de pagamento de 20 anos, com três anos de carência, incluindo todo o passivo. "Ano que vem, se der qualquer problema, o produtor não vai conseguir honrar seus compromissos", alertou. O CMN também autorizou prorrogação dos custeios e investimentos em até cinco anos para avicultores. A medida vale, especialmente, para criadores individuais e cooperativas que não atuam com parceria. Segundo o diretor executivo da Asgav, José Eduardo dos Santos, é importante que a decisão atenda também aos integrados, já que representam 99% dos produtores do país. A renegociação da linha especial de crédito para os produtores de laranja também foi anunciada. As instituições financeiras poderão renegociar as parcelas que vencem em dezembro deste ano e janeiro e fevereiro de 2013 por até um ano após a data originalmente pactuada.

Fonte: Correio do Povo