.........

Clima adverso leva Conab a baixar estimativa para a colheita de trigo

.........

Perdas de produtividade em virtude de adversidades climáticas durante o desenvolvimento das lavouras levaram a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a reduzir sua estimativa para a colheita de trigo no Brasil este ano. Em relatório divulgado ontem, a autarquia ajustou a projeção para 7 milhões de toneladas, ante as 7,67 milhões calculadas em outubro. Mas, mesmo com essa redução, o volume é 27% maior que o do ano passado – quando o cereal também foi afetado por problemas com o clima.

A perspectiva para o rendimento do trigo no país caiu de 2,84 mil para 2,57 mil quilos por hectare. E o Rio Grande do Sul, que em 2013 havia passado à frente do Paraná em volume colhido, deverá voltar à segunda posição, de acordo com a Conab. A expectativa é que os gaúchos colham 2,49 milhões de toneladas este ano, enquanto os paranaenses tendem a atingir 3,87 milhões de toneladas.

De fato, os problemas climáticos ficaram mais concentrados no Rio Grande do Sul, onde os agricultores enfrentaram "geadas, chuvas torrenciais, enxurradas, falta de luminosidade, calor excessivo, ataque de doenças em geral, granizo e acamamento", conforme relato da Conab. "O resultado foi baixa produtividade de um produto sem qualidade e alguns lotes com baixo padrão", acrescentou a companhia. A colheita de trigo no Estado já começou e segue até dezembro.

Diante desse cenário complicado do lado da oferta, a Conab elevou em 9% a estimativa de importações de trigo, em relação ao previsto em outubro, para 6 milhões de toneladas em 2014.

Ainda na frente do comércio externo, a Conab reduziu a expectativa de exportação de soja em grãos do Brasil em 2014/15 para 48 milhões de toneladas, ante as 48,5 milhões previstas em outubro. O volume é 2,8% superior ao projetado pelo Departamento de Agricultura americano (USDA) na segunda-feira passada e 3% maior que o total embarcado pelo país no ciclo passado. A perspectiva da Conab para as exportações de milho permaneceu em 20 milhões de toneladas.

Em relação às estimativas para a produção desses dois grãos, a autarquia fez apenas correções marginais. Para a soja, o intervalo previsto para a safra 2014/15 ficou em 89,342 milhões a 91,744 milhões de toneladas, o que significaria um volume até 6,5% maior que no ciclo passado. No caso do milho, a "banda" vai de 76,6 milhões a 78,9 milhões de toneladas, com baixa de até 3% na mesma comparação.

A Conab estima que a safra total de grãos do país na atual temporada totalize entre 194,4 milhões e 200 milhões de toneladas. Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que também divulgou novas previsões ontem, indicou que a colheita brasileira poderá alcançar 198,3 milhões de toneladas em 2015, 2,5% a mais que no ano anterior – e um novo recorde.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3775674/clima-adverso-leva-conab-baixar-estimativa-para-colheita-de-trigo#ixzz3Ir6nwnRH

Fonte: Valor | Por Mariana Caetano, Bettina Barros, Luiz Henrique Mendes e Alessandra Saraiva | De São Paulo e do Rio