.........

Céleres reduz previsão de rentabilidade da soja em 2015/2016

.........

A consultoria Céleres reduziu suas projeções para a rentabilidade da soja na safra 2015/2016 do Brasil em relação ao primeiro levantamento, divulgado em agosto, mas ressaltou que o resultado ainda supera o obtido no ciclo anterior. Segundo as pesquisas da consultoria, a margem operacional média do país deverá ser de R$ 1.171 por hectare. O número é 9,3% menor do que os R$ 1.291 por hectare projetados no início da safra, mas cerca de 40%, em média, maior do que o valor estimado para a temporada passada. "A explicação para a menor lucratividade não vem do lado da receita, que, apesar da pressão das cotações externas, segue sustentada pela contínua desvalorização do real, mas pelos ajustes das produtividades de alguns Estados e pelos custos mais altos do que o previsto no início da safra", afirmou a Céleres.

Para o milho verão, a consultoria projetou margens operacionais negativas para os produtores que obtêm produtividade dentro da média e positivas para os que conseguem rendimentos acima da média. "Mesmo diante de preços mais altos para a safra de verão, o aumento sensível dos custos e a produtividade média levemente menor ante a safra passada devem limitar a rentabilidade dos produtores nacionais", destacou a consultoria. De acordo com o levantamento, em áreas onde a produtividade fica dentro da média, a margem operacional é negativa em R$ 34/ha. Nas áreas com rendimento levemente superior à média, a margem operacional deverá ser de R$ 290/ha, praticamente metade da prevista na análise de agosto. Já nas áreas em que o rendimento fica muito acima da média, a rentabilidade sobe substancialmente, atingindo R$ 1.786 por hectare.

Projeção de safra

A Céleres manteve nesta terça-feira (16/2) as suas projeções de produção de soja, milho e algodão do Brasil em 2015/2016. Na soja, a expectativa é de colheita de 99,8 milhões toneladas, superior em 2,4% ao montante produzido em 2014/2015. "Tendo em vista que há algumas áreas ainda atrasadas no ciclo produtivo, o cenário climático a ser verificado no decorrer de fevereiro de 2016 será decisivo para a determinação da produção do grão", apontou a consultoria. A área semeada com soja nesta temporada foi estimada em 33,02 milhões de hectares, expansão de 3,5% na comparação com 2014/15. Em relação à produtividade, a Céleres prevê rendimento médio do País em 3,02 toneladas por hectare, 1,1% menor do que o observado no ciclo anterior.

Quanto ao milho, a consultoria manteve suas estimativas tanto para a safra de verão 2015/16 quanto para a safrinha. Para a segunda safra, a perspectiva é de que sejam semeados 9,8 milhões de hectares com o cereal, um aumento de 6,9% na comparação com 2014/15. O rendimento foi estimado em 5,91 toneladas por hectare, resultando na produção de 58,29 milhões de toneladas. Na safra de verão, a consultoria estima queda de 5,5% na área, para 5,68 milhões de hectares. O rendimento foi projetado em 5,06 toneladas por hectare, recuo de 1,5% em relação ao ciclo anterior. Dessa forma, a Céleres prevê colheita de 28,8 milhões de toneladas, redução de 7% em relação à temporada 2014/2015.

Para o algodão, a consultoria deixou estável a previsão de produção de pluma em 1,57 milhão de toneladas, com avanço de 2,4% sobre a obtida na safra anterior. A área plantada no país foi estimada em 967.800 hectares, queda de 2,8% em relação à safra 2014/15. A produtividade da pluma foi projetada em 1,62 tonelada por hectare, 5,1% maior que no ciclo anterior.


Estadão Conteúdo

Fonte: Famasul