.........

Céleres mantém projeção de área, rendimento e produção para soja 2015/16

.........

A Céleres manteve as estimativas de área, rendimento e produção para a safra de soja 2015/16, de acordo com projeção divulgada nesta terça-feira (16.02). Os números foram mantidos, de acordo com a agência, “apesar da relativa melhora climática vista em janeiro/16, resultado da presença das chuvas em importantes áreas produtivas do país”.

No boletim “7º acompanhamento da safra”, a Céleres afirma que a área semeada nesta temporada deve ser de 33,02 milhões ha, expansão de 3,5% na comparação com 2014/15. Em relação à produtividade, a Céleres projeta rendimento médio do país em 3,02 t/ha, 1,1% menor que o observado na campanha anterior. A expectativa da safra 2015/16 segue em 99,8 milhões t, superior em 2,4% ao montante produzido em 2014/15.

“Vale salientar que, no geral, com os melhores níveis pluviométricos no decorrer das últimas semanas, regiões importantes do Centro-Oeste e Nordeste puderam se recuperar, apesar da irregularidade vista em tais áreas. Adicionalmente, com algumas áreas ainda atrasadas no ciclo produtivo, como grande parte do MATOPIBA, o cenário climático a ser verificado no decorrer de fevereiro/16 será decisivo para a determinação da produção do grão. Portanto, mesmo que em menor grau, ainda há alguma incerteza sobre o tamanho da safra brasileira de soja”, diz comunicado da Céleres.

“Em relação à rentabilidade esperada para a safra de soja 2015/16, levando em consideração as premissas de cenários de produtividade por estado, de preços internos baseados na paridade de exportação decrescidos dos custos de comercialização e do custo direto de produção, a 2ª análise de rentabilidade da safra 2015/16 elaborado pela Céleres® sugere que o produtor de soja brasileiro deverá observar rentabilidades positivas, contudo decrescentes se comparadas com o último levantamento. Segundo as pesquisas da Céleres®, a margem operacional média do país deverá ser de R$ 1.171/ha, com intervalo inferior em R$ 828/ha e superior em R$ 1.515/ha. Com destaques para o Centro-Oeste e Paraná, a colheita toma maior ritmo no cenário nacional, alcançando 16% da área plantada dia 12/02”, completa a agência.


Agrolink

Fonte:  Famasul