Chuva em excesso e entressafra elevam preços de hortaliças

Chuvas em excesso em diversas áreas de cultivo de hortaliças no país e a redução sazonal da produção neste início de ano têm elevado os preços nas centrais de abastecimento, contribuindo para pressionar a inflação. Em janeiro, os preços de alface, tomate, batata, cebola e cenoura – que representaram 0,9105 ponto percentual do IPCA do mês – subiram na maior parte das principais Ceasas do país, conforme a Conab.

O tomate, que respondeu por 0,2915 ponto do IPCA de janeiro, chegou a ter alta de 84,6% na Ceasa Grande Rio no mês passado, onde foi negociado em média por R$ 3,85 o quilo. Na Ceagesp, o preço do fruto subiu 21,6%, para um valor médio de R$ 4,50 por quilo.

O aperto na oferta, porém, está sendo revertido em fevereiro, já que as chuvas deram uma trégua nas principais áreas produtoras, permitindo o avanço da colheita. Segundo a Conab, as cotações já recuaram na primeira quinzena do mês.

A batata, que respondeu por 0,2779 ponto percentual do IPCA do mês passado, subiu em cinco das seis principais centrais, com destaque para a alta de 20,5% na de Campinas. As chuvas afetam o volume e a qualidade do produto.

Na Ceagesp, o preço do tubérculo caiu 5,3% no mês passado, e, no início de fevereiro, apresenta retração nas demais centrais.

A cenoura e a cebola, que contribuíram com parcelas menores para a inflação em janeiro, também subiram de forma generalizada, e a perspectiva é que fechem fevereiro com mais uma alta. Ambas têm sido afetadas por chuvas em Santa Catarina.

Com contribuição de 0,1733 ponto no IPCA de janeiro, a cebola avançou 33,9% na Ceasa Grande Vitória, mas ficou quase estável na Ceagesp. Já a cenoura (com 0,0551 ponto de peso no índice) avançou 64,9% na Ceasa Campinas e 57% na Ceagesp.

Por Camila Souza Ramos | De São Paulo

Fonte : Valor