.........

China não dá sinais de que vai reduzir compra de soja

.........

As operações de esmagamento de soja na China registraram perdas da ordem de US$ 4,3 bilhões nos primeiros nove meses do ano, segundo estimativas de importadores do país. Apesar disso, o volume de soja comprada pelo gigante asiático cresceu e poderá alcançar o recorde de 74 milhões de toneladas no ano-safra 2014/15 (de outubro deste ano a setembro do próximo).

Segundo a consultoria AgResource, o crescimento das exportações mesmo em tempos de margens negativas no processamento pode ser explicado pela intervenção do governo. "Sabemos que o governo chinês tem feito mudanças em sua política de fixação de preços nos últimos anos [costurada para sustentar os preços no mercado interno e proteger os agricultores chineses e a indústria local de soja como um todo], com novos padrões de pagamentos compensatórios cujos impactos são difíceis de prever", afirma, em nota, a consultoria.

A AgResource estima que a China terá reservas recordes de 14 milhões de toneladas de soja no fim deste ano-safra, mas mesmo assim não há sinais de que o país vai reduzir as compras. "Embora estejamos vendo uma desaceleração no PIB chinês, a renda real per capita continua a subir e as taxas de urbanização também, o que provavelmente aumentará o consumo de produtos de origem animal no país".

Mas a consultoria realça que, enquanto evidências apontam para a continuidade de um ritmo forte de importações, perdura o temor sobre uma desaceleração da economia chinesa no longo prazo. "É difícil fazer qualquer previsão diante de dados tão fechados da China".

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3805448/china-nao-da-sinais-de-que-vai-reduzir-compra-de-soja#ixzz3L1auTzK7

Fonte: Valor | Por Fernanda Pressinott | De São Paulo