China habilita 9 frigoríficos e vai importar US$ 520 milhões

Embarques prometem incremento de 7% na renda das exportações de carne vermelha, na comparação com 2014

Postado em 19 de maio de 2015

Carne brasileira está desde 2012 impedida de entrar na China. Ministra da Agricultura irá a Pequim ainda neste semestre.

Carne brasileira está desde 2012 impedida de entrar na China. Ministra da Agricultura irá a Pequim ainda neste semestre.

Foto: Alex Gallardo/Reuters

Autor: agro@gazetadopovo.com.br

O Brasil dará nova largada à exportação de carne bovina para a China ainda no primeiro semestre deste ano, num momento em que registra preços recordes para o boi gordo e para os principais cortes nos açougues. A China acaba de habilitar nove frigoríficos e deve chegar a 26 até junho deste ano, anuncia o Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (Mapa).

Os primeiros nove frigoríficos (oito de bovinos e um de aves) tiveram a habilitação oficializada nesta terça-feira (19), durante a visita que uma comitiva de autoridades chinesas faz ao Brasil. Os nomes das empresas não foram divulgados. O Mapa informou apenas que os bovinos são cinco de São Paulo, um de Goiás, um de Mato Grosso e um do Rio Grande do Sul. O de suínos é de Rolândia, Norte do Paraná.

A tendência é que a arroba bovina atinja R$ 150 em agosto e a picanha passe de R$ 80 por quilo. Por outro lado, a renda da pecuária com exportações (que foi de US$ 7,2 bilhões) deve aumentar. O setor prevê dobrar as exportações em cinco anos, alcançando 4 milhões de toneladas. Hoje, menos de um terço da produção é exportado.

Segundo o governo brasileiro, as exportações dos 26 frigoríficos à China devem somar US$ 520 milhões ainda neste ano — 7% sobre o valor das exportações em 2014. A informação foi divulgada após reunião da ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) com o ministro chinês Zhu Shuping (Administração de Inspeção de Qualidade e Quarentena). Os negócios podem chegar a US$ 1 bilhão ao ano, conforme projeção de Brasília.

A presidenta Dilma Rousseff e o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, oficializaram também hoje, em Brasília, a liberação da venda de carne bovina para o mercado chinês, embargada desde 2012, quando havia suspeita de que o Brasil tinha escondido um caso da doença da vaca louca.

A liberação de mais 17 plantas deve ocorrer durante visita da ministra Kátia Abreu à China, até junho. “Entreguei toda a documentação em inglês para o ministro. Ele saiu daqui com a promessa de uma cooperação rápida, de que tem toda disposição de ajudar”, disse a ministra brasileira.

Fonte: Gazeta do Povo