Cereais, Fibras e Oleaginosas – Câmara Setorial do Arroz entrega pedido de apoio à atingidos por enchentes

Alegrete/ Rio Grande do Sul (22 de fevereiro de 2016) – O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, André Nassar, recebeu das mãos do presidente da Câmara Setorial do Arroz do Mapa e diretor da FARSUL, Francisco Schardong, um documento elaborado pelas entidades do setor arrozeiro gaúcho que pede apoio da pasta aos produtores atingidos pelas enchentes do final do ano de 2015 no Estado, especialmente na Fronteira Oeste e Depressão Central. A entrega aconteceu na última sexta-feira, dia 19 de fevereiro, durante a 26ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz, que acontece em Alegrete (RS).

Schardong ressalta que os pedidos não são de ressarcimento, mas sim de apoio do Governo Federal. “É um documento que pede um auxílio para as regiões do Estado que foram afetadas, mas que tem condições, por meio do manual de crédito rural, ter a sua compensação e, um tratamento diferenciado para a Depressão Central”, explica.  Conforme o dirigente, a expectativa é de um retorno breve às demandas. “O secretário entendeu, porque ele esteve na região, está conhecendo o caso e prometeu dar uma solução imediata. Além da prorrogação dos pagamentos até outubro que é fundamental”, defende. O presidente da Federarroz, Henrique Dornelles, afirma que os prejuízos ultrapassaram os R$ 500 milhões. "Precisamos de uma linha de crédito para equalização e dar um pouco mais de segurança para os produtores duramente atingidos pelas enchentes", ressalta.

O documento foi elaborado em reunião da Câmara Setorial Nacional do Arroz, que também aconteceu em Alegrete, no dia anterior ao da entrega. No encontro, além da confecção do ofício, também foi tratada a redução da produção. Os dirigentes garantiram o abastecimento de arroz no Brasil, onde o consumo é estimado em 12 milhões de toneladas, e por isso não há a necessidade de importação do cereal. "A medida em que o Rio Grande do Sul foi atingido pelas enchentes e tivemos quebra significativa, se voltam ao Estado todas as atenções já que há um temor que faltará arroz no Brasil. Pudemos verificar que não existe qualquer risco de desabastecimento e que teremos condições de atender este mercado", avalia Dornelles.

Schardong endossa e descarta a necessidade de importar o grão. “Nós estamos hoje com garantia de bancar o consumo do arroz brasileiro. Tanto a indústria, quanto o setor produtivo, estão cientes e conscientes de seu papel e, por isso, não existe a necessidade de precisar comprar de fora’, afirma.
Clique aqui para ver fotos da noticia.

Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul – FARSUL / Com informações da Federarroz
http://www.farsul.org.br/

Fonte : Canal do Produtor